Jackson se atrasa novamente para julgamento

Pela segunda vez em menos de duas semanas, Michael Jackson chegou atrasado à audiência de hoje do julgamento em que é acusado de abuso de menor, andando lentamente e com dificuldades até a sala da corte. Mas, o juiz ordenou que os testemunhos fossem retomados sem pedir explicação para o atraso de 45 minutos.O juiz da corte superior Rodney S. Melville ordenou aos advogados que continuassem interrogando um investigador, o sargento Conn Abel, que começou a depôr na semana passada, antes do recesso.O astro pop foi ameaçado de prisão em 10 de março quando chegou com mais de uma hora de atraso devido a uma viagem a um hospital para tratamento de um problema na coluna, disseram seus advogados. Apesar da ameaça, Melville nada fez na época.O carro de Jackson chegou ao tribunal cerca de um minuto depois da hora marcada para o início da sessão, às 8h30 locais, 10h30 em Brasília. Jackson levou alguns minutos para conseguir entrar, sendo amparado por seus seguranças.Por vários minutos houve várias entradas e saída da corte. O advogado de defesa do astro, Thomas Mesereau Jr., entrou e saiu várias vezes. A mãe de Jackson, Katherine, saiu da corte. Ao entrar na corte, Jackson estava visivelmente cansado e com aparência ruim, ele parecia estar tremendo e chorando. Em um momento, o astro se retirou para ir ao banheiro, sempre ajudado pelo seguranças e acompanhado do irmão. Um médico, que se identificou como Bert Weiner aos jornalistas, examinou o artista e se reuniu com a defesa e o juiz.No primeiro incidente, Jackson chegou com mais de uma hora de atraso, vestindo pijamas e chinelos, depois de passar por um hospital para se tratar de um problema na coluna.Na quinta-feira, um advogado de Jackson disse que as costas do cantor ainda o estavam incomodando e que ele planejava descansar e relaxar no fim de semana. Jackson, de 46 anos, enfrenta dez acusações, entre elas abuso sexual, conspiração e fornecer bebidas alcoólicas a menores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.