Jackson recebe prêmio enquanto corre processo

Michael Jackson tirou uma folga de seus imbróglios judiciais na Califórnia e foi a Washington, onde recebe um prêmio por seus trabalhos beneficentes na luta contra a aids no continente africano. Ontem, ele visitou o Congresso americano e discutiu o tema com lideranças negras. Segundo o republicano John Lewis, Jackson quer visitar a África este ano, apesar da batalha na Justiça. O pop star tinha a intenção de se reunir hoje com todos os 38 legisladores negros, mas foi esnobado pela maioria. Evitando ligar seus nomes ao de um acusado de abuso infantil, os políticos alegaram agenda cheia.Enquanto isso, em Santa Bárbara, o menino de 14 anos que acusa o cantor Michael Jackson de abuso sexual testemunhou diante do Grande Júri formado na semana passada para analisar o caso. Foi a primeira vez que os 19 jurados se reuniram. Eles devem se ocupar do caso durante as próximas semanas, ouvindo as testemunhas de acusação, para decidir se Jackson vai ou não a júri popular.Na audiência de terça-feira compareceu também Jamie Masada, o proprietário de um clube de comédias que apresentou o menino ao cantor, segundo informou uma fonte que não quis se identificar. Masada se recusou a fazer declarações, mashavia dito anteriormente que prometeu ao menino, enquanto fazia tratamento quimioterápico em 2001, que apresentaria o pop star a ele. Diante do corpo de jurados, também se apresentou ontem um advogado que representou em 1993 um outro menino que acusou o artista de abuso naquela ocasião.Uma ordem judicial proibe os meios de comunicação de entrar em contato com qualquer menor que seja chamado a testemunhar diante do júri investigativo. Não ficou claro se as audiências continuariam nesta quarta-feira.O local do encontro deveria ser mantido em segredo, mas várias equipes de televisão chegaram ao endereço pela manhã e foram impedidos de ter acesso por uma barricada imposta pelas autoridades locais.Jackson foi acusado no ano passado por sete delitos de atos lascivos contra um menor de 14 anos e dois, por ter dado bebida alcoólica a ele. Michael Jackson declarou-se inocente das acusações numa audiência ocorrida em janeiro. O astro pop pagou fiança de US$ 3 milhões para responder ao processo em liberdade. Um novo encontro com o Grande Júri está previsto para esta sexta, entre os advogados de defesa e os de acusação, mas não se espera a presença de Jackson.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.