Jackson queria levar menino e família ao Brasil

A principal testemunha da acusação a depor até o momento no julgamento do cantor Michael Jackson, a irmã do menino que acusa o astro, disse nesta quinta-feira que o cantor e seus assessores planejavam levar o menino supostamente violentado e sua família para o Brasil a fim de dificultar o acesso da imprensa. Ela disse que a família inteira (ela própria, os dois irmãos e a mãe, todos hospedados na casa do cantor na época do suposto abuso) foi levada para tirar passaportes e vistos para o país, depois da exibição do programa Vivendo com Michael Jackson, na TV britânica.No vídeo, que deu origem às investigações que levaram ao atual processo, Jackson, de 46 anos, aparece de mãos dadas com o menino que hoje o acusa de abuso sexual e diz não ver problema em dividir a sua cama com uma criança.Segundo a promotoria, a exibição do documentário (mostrado primeiro na Grã-Bretanha e depois nos Estados Unidos) causou um certo "pânico" entre o cantor e os seus assessores, que, de acordo com o testemunho da irmã, teriam então levado a família num jato particular para um resort em Miami, no sul dos Estados Unidos.A irmã do menino disse que a viagem ao Brasil nunca aconteceu, que ela e a família teriam sido levados de volta à mansão de Jackson, de onde saíram "aterrorizados" uma semana depois.Quando o advogado da acusação Thomas Sneddon lhe perguntou por que ela havia ficado assustada, ela respondeu: "O segredo todo... muito agressivo, eu não entendia o que estava acontecendo".A suposta tentativa de isolar a família, tentando fazer com que eles ficassem na casa de Jackson contra a sua vontade, é uma das dez acusações que pesam sobre o cantor, acusado de molestar sexualmente e dar bebida alcoólica ao menino de então 13 anos. Ainda nesta quinta-feira, os advogados da acusação mostraram aos jurados um vídeo sobre Neverland, como é chamada a mansão do cantor. O filme de 12 minutos, feito pela polícia em novembro de 2003, mostra o quarto do cantor e dois quartos com brinquedos e bonecos, incluindo personagens de Batman, Superman e Guerra nas Estrelas. A defesa enfatizou aos jurados que os três filhos de Jackson vivem em Neverland (Terra do Nunca). Os promotores haviam descrito a residência como um "mundo particular" de álcool e pornografia, mas a fita não mostrou nenhuma das revistas de sexo explícito mencionadas. O vídeo foi mostrado como uma espécie de tour pela mansão, incluindo tomadas do suntuoso hall e o quarto de Jackson, dividido em dois pisos. Segundo a promotoria, foi ali que o cantor supostamente abusou sexualmente do menino. Há ainda no vídeo um "close" da escada de onde a irmã da suposta vítima teria visto Jackson molestar o menino.A defesa diz que as acusações são falsas e que família quer extorquir dinheiro do artista. Se condenado, Michael Jackson pode pegar até 21 anos de prisão.

Agencia Estado,

04 de março de 2005 | 11h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.