Jackson pode perder direitos sobre canções dos Beatles

Michael Jackson assinou nesta quinta-feira, 13, um acordo para refinanciar suas dívidas, com a ajuda da Sony, que deverá comprar parte dos direitos que o cantor adquiriu sobre canções dos Beatles e de outros artistas. Segundo o comunicado divulgado nesta quinta-feira pelos seus advogados, "Jackson reestruturou as suas finanças"."Após negociações com diferentes instituições financeiras, Jackson concluiu o refinanciamento com o grupo Fortress Investment", afirma o comunicado divulgado no Barhein, onde mora o "Rei do Pop".O anúncio confirmou as notícias publicadas pela imprensa financeira e pelo jornal The New York Times, sobre um acordo econômico "iminente" para o cantor. Segundo os jornais, foram várias semanas de reuniões.Salvo da falênciaAs mesmas fontes acrescentam que o refinanciamento salva Jackson da falência. Mas também o obriga a ceder parte do catálogo musical ATV/Sony, que inclui mais de 200 canções dos Beatles. Nem Jackson, nem a Sony, nem o grupo Fortress Investment deram detalhes.Segundo o The New York Times, Jackson se compromete a vender num futuro próximo a sua participação no catálogo de mais de 4 mil canções, avaliado em US$ 1 bilhão. Além dos Beatles, há músicas de Bob Dylan, Neil Diamond e Beck, entre outros. A Sony, que já tem 50% do catálogo, compraria metade da parte de Michael Jackson, segundo as mesmas fontes.DecadênciaA decadência financeira começou há décadas. O extravagante estilo de vida de Michael Jackson ficava cada vez mais dispendioso, apesar de suas vendas começarem a cair.Os escândalos que abalaram sua carreira, como o julgamento por abuso de um menor de 14 anos, no qual foi absolvido, só pioraram a situação, com mais dívidas e menos sucessos. Durante o julgamento, a promotoria afirmou que as dívidas de Jackson chegam a cerca de US$ 300 milhões.No ano passado, o cantor utilizou o catálogo de Sony/ATV para refinanciar uma dívida de US$ 270 milhões com o Bank of America, que repassou o empréstimo ao Fortress Investment, especializado em operações de alto risco.Segundo The New York Times, Jackson estava pagando 20% de juros por mês. Agora a taxa cairia para 6% sobre os US$ 325 milhões refinanciados.A Sony era uma das maiores interessadas em renovar o fôlego financeiro de Jackson, já que pretende comprar o resto do catálogo e tem a primeira opção de compra. Se ele falir, seus direitos sobre canções como Revolution, dos Beatles, e Blowin´ in the Wind, de Bob Dylan, podem ir a leilão.

Agencia Estado,

14 de abril de 2006 | 18h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.