Jackson enganou o mundo, diz mãe de garoto

A mãe do menino que acusa Michael Jackson de abuso sexual atacou o astro pop durante seu depoimento de hoje, declarando que Jackson "na realidade não se importava com as crianças, mas com o que fazia com elas". A mulher recusou-se a responder a algumas das perguntas feitas pelo advogado de defesa de Jackson Thomas Mesereau Jr. e começou seu quarto dia de depoimento fazendo discursos ao júri. Ela olhou para Jackson e disse: "Ele conseguiu enganar o mundo. Agora, por causa deste processo, as pessoas sabem quem ele realmente é". Jackson é acusado de molestar um dos filhos desta mulher entre fevereiro e março de 2003, quando o garoto sofria de um câncer; além de supostamente ter conspirado para manter a família presa em seu rancho para que participassem de um vídeo de reconstrução da imagem do cantor, abalada desde a exibição do documentário Vivendo Com Michael Jackson, em que ele aparece de mãos dadas com o acusador e diz gostar de dividir a cama com crianças.Durante mais um dia turbulento no tribunal, a mulher negou várias vezes que Jackson ou algum sócio dele tenha tentado ajudar sua família quando seu filho teve câncer.Mesereau mencionou que ela recebia cheques de US$ 20 mil e os depositava na conta da mãe. Mas ela disse que não sabia quanto do dinheiro havia sido usado para o filho. Ela também disse que abriu uma conta bancária na qual as pessoas podiam depositar dinheiro em benefício de seu filho. "Você retirou milhares de dólares desta conta?" Mesereau perguntou. "Sim", disse a mulher. "E algum desse dinheiro foi usado para despesas médicas?", perguntou o advogado. "Não". Ela negou ter enganado um repórter local, levando-o a escrever uma matéria dizendo que a família estava na miséria e pagando US$ 12 mil por cada sessão de quimioterapia para tratamento do menino. A matéria trazia um endereço para receber contribuições. Ela disse que os US$ 12 mil eram um erro de digitação, e que o valor, na verdade, era US$ 1.200. Mas, por fim, ela assumiu que não pagava nada porque o plano de saúde do pai de menino cobria o tratamento.Mesereau fez-lhe perguntas envolvendo o relacionamento dela com o comediante Chris Tucker e sua namorada, Aja, e ela negou que a família tenha pedido ajuda, dinheiro, ou qualquer tipo de presentes de Tucker. Ela afirmou que uma vez Tucker deu-lhe um carro, mas que ela nunca pediu e assegurou que ele apenas fez isso porque havia comprado um carro para a namorada e precisava de espaço para guardá-lo.Mesereau questionou a mulher sobre as tentativas de ela conseguir ajuda durante o período em que a família supostamente foi mantida presa. "Você reclamou para alguém que crimes estavam sendo cometidos contra você e sua família?", perguntou Mesereau. "Não, mas agora estou", ela disse. Mesereau ressaltou que ela conseguiu telefonar para a comediante Louise Palanker durante o período. "Se você fez esse telefonema, por que não ligou para a polícia?". "Eu não podia. Esperava que ela pudesse". "Você não ligou para 911 (número de telefone para emergências nos EUA)?". "Liguei agora", ela disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.