Izabel Padovani vence o 8.º Prêmio Visa

Izabel Padovani venceu a 8.ª Edição do Prêmio Visa de Música Brasileira, na final realizada na noite desta quarta-feira. Embora o resultado tenha provocado controvérsias, a vitoriosa Izabel Padovani não deixou dúvidas: foi a melhor atuação da noite. Em segundo lugar ficou a paulista Ana Luíza e em terceiro, o alagoano Rubi, o predileto da torcida, vencedor pelo voto popular.Três cantoras paulistas, um cantor goiano e um quarteto carioca de estilos peculiares disputaram a final no Tom Brasil Nações Unidas: Ana Luiza, Cris Aflalo, Izabel Padovani, Rubi e o grupo Nós Quatro.Perfil da vencedoraPaulista radicada há anos na Áustria, Izabel deve voltar com tudo para investir em sua carreira no Brasil. Ela passou quatro anos sem pisar no País por conta de um curso de técnica de Alexander, inventada por um ator australiano. "Foi muito importante para meu corpo, minha voz e minha atuação no palco", conta ela. "Depois disso tinha planejado voltar mesmo. O Visa acelerou esse processo para semear meu trabalho no Brasil."A meio-soprano Izabel Padovani une técnica e personalidade na interpretação de repertórios inteligentes e diversificados fundamentados sempre no melhor da Música Brasileira. A cantora nasceu em Campinas, São Paulo, e desde 1996 vive entre Áustria e Brasil. Foi aluna de Canto de Ana Maria Kieffer e freqüentou o Curso de Música da Fundação das Artes de São Caetano do Sul. T em dois C Ds gravados: Mar&Bel e Hein?, ambos com a participação do pianista Marcelo Onofri, com quem trabalhou por muitos anos. Com uma carreira voltada para o exterior, Izabel acaba de lançar o CD Tons - bass and voice , ao lado do baixista Ronaldo Saggiorato, pelo selo austríaco Gillard Music. E é com esse trabalho que vem se apresentando regularmente em Festivais e Casas de Espetáculos da Europa.A história do prêmioCriado em 1998, o Prêmio Visa é hoje um dos mais importantes e conceituados concursos musicais do País. A lista de finalistas das edições anteriores comprova sua credibilidade. Músicos e intérpretes conquistaram projeção nacional e internacional depois de passarem pelo evento: Danilo Brito, Chico Saraiva, Rafael Altério, Duofel, Chris Delano, Hamilton de Holanda, Renato Braz, Yamandú Costa, Dante Ozzetti, Mônica Salmaso, Célio Barros e André Mehmari.Crescente a cada edição, o Visa recebeu este ano um número de inscrições recorde: foram 2.686 trabalhos, superando as expectativas para a edição vocal. Este número representa um acréscimo de 115,5% em relação à primeira edição vocal, de 1999, e 42% em comparação à segunda, de 2002, que recebeu 1.893 inscrições.Em oito anos de realização, o Prêmio Visa de Música Brasileira soma 12.458 trabalhos inscritos. Segundo Isabel Borba, diretora executiva da Eldorado, "o significativo aumento do número de inscritos a cada ano é uma prova do sucesso do prêmio. A edição de 2005 marca oito anos consecutivos desta bem sucedida parceria entre a Rádio Eldorado e a Visa do Brasil." Na edição dedicada aos instrumentistas no ano passado, o Prêmio Visa registrou recorde de inscritos na categoria com um aumento de 40% em relação à segunda versão instrumental (de 2001). Esta oitava edição concede prêmios de R$ 200 mil. O vencedor receberá R$ 110 mil mais a gravação de um CD. O segundo colocado fica com R$ 50 mil, o terceiro, com R$ 30 mil e os demais finalistas com R$ 5 mil cada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.