Ivete Sangalo encerra show no Maracanã com <i>Sá Marina</i>

Depois de quatro horas e meia, às 0h55 de domingo, a cantora Ivete Sangalo despediu-se do público que enchia meio Maracanã (cerca de 60 mil pessoas, segundo a Polícia Militar, num lugar onde cabem 120 mil), após cantar País Tropical. Ivete saiu do palco, sob uma chuva de papel prateado picado. Era para ser a apoteose, mas foi o anticlímax, porque a platéia, embora animada, não pediu bis e começou a se retirar, deixando espaços no gramado do estádio.Mesmo assim, após cerca de 10 minutos, a cantora voltou, com um dos vestidos que usara durante o show (um micro branco, tomara-que-caia, tendo na saia os desenhos das calçadas de Copacabana) para repetir os números do show que não ficaram bons para o DVD e o CD que estavam sendo gravados.?Vamos ficar aqui até as 5 da manhã?, prometeu ela, mas o público já demonstrava sinais de cansaço e os convidados, que ocupavam boa parte do lado direito do palco, já haviam debandado. Especialmente os famosos, como Thiago Lacerda, Cléo Pires, Marcos Paulo, Karina Bach, Rafael Almeida (o pianista de Páginas da Vida), Maria Rita e os que usavam a camiseta dos patrocinadores do show, um grande banco e uma marca de cerveja. ?Vocês são meus melhores amigos e este show foi bom assim porque vocês estão aqui?, elogiou ela, antes de cantar o número final, Sá Marina, por volta das 1h30 de domingo. Xuxa que chegou às 21h30, minutos antes de o show começar,foi embora uma hora depois porque tinha que fazer a chegada de Papai Noel na Apoteose na manhã deste domingo.Ivete Sangalo foi a primeira artista brasileira a se apresentar no Maracanã, onde já tocaram Rolling Stones, Paul MacCartney, Madonna, Sting e Tina Turner. Mas ela merecia uma produção mais cuidada para essa estréia nacional, ainda mais que o show vai virar DVD, CD e programa de televisão, a ser exibido pelo canal pago Multishow, em março de 2007.Um executivo da emissora resumiu a ópera: ?Produção no Brasil é assim mesmo, depois a gente conserta na edição?, justificou. Pena, porque o público que foi lá fazer figuração merecia um som melhor e um show mais ensaiado, sem repetições de vários números e interrupções inexplicadas, inclusive uma de 20 minutos, por pane total do som.Mas quem comprar o DVD e o CD não verá este problema e, certamente, nem perceberá que aconteceram falhas no espetáculo. O mesmo executivo garantiu que o som havia sido pré-gravado no ensaio de quinta-feira e o público estava lá para fazer figuração. Mas Ivete tem fãs fiéis, que levantaram os braços, pularam a aplaudiram nas horas necessárias para ela ter um registro histórico de sua passagem pelo Maracanã.

Agencia Estado,

17 de dezembro de 2006 | 01h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.