WILTON JUNIOR/ESTADÃO
WILTON JUNIOR/ESTADÃO

Ivete Sangalo e Criolo vão fazer turnê de homenagem a Tim Maia

Projeto de empresa de cosméticos promove shows-tributos em sete cidades, mas o encontro dos dois músicos divide opiniões

Emanuel Bomfim, O Estado de S. Paulo

04 de fevereiro de 2015 | 16h49

Depois da cinebiografia e da contestada versão que foi ao ar na Rede Globo, Tim Maia voltará a ser homenageado. Desta vez, nos palcos. O projeto Nivea Viva, em sua quarta edição, recorreu ao poderoso cartel de hits do Síndico para sustentar mais um tributo a figurões da música brasileira. A missão de encarar o repertório soul de Tim caberá ao rapper Criolo e a cantora Ivete Sangalo. E a escolha desses artistas já causou polêmica. 

O instrumentista Paulinho Guitarra, fundamental para a formatação do som de Tim ao longo de sua produção, foi ignorado pelo projeto. “Só cumpri um mandamento de meu pai em vida. Quem entrasse com processo na justiça jamais faria parte de algo dele ou sobre ele. Paulinho processou meu pai depois que ele morreu. Ele não estará em nenhum projeto de Tim Maia, assim como não esteve no filme”, frisou Carmelo Maia, filho de Tim, espécie de avalista e consultor do projeto. Em seu Facebook, o músico Ed Motta, sobrinho de Tim, diz que recusou o convite de participar do projeto. “O cara que teria realmente cabedal para um tributo ao Tim Maia seria o Claudio Zoli, por conta do timbre de voz, e também a história e envolvimento de carreira”, escreveu ele.

Roberto Carlos não foi cogitado entre os intérpretes, mas será lembrado pela canção Não Vou Ficar, garante a diretora artística Monique Gardenberg. “Seria muito difícil ter o Roberto nestas circunstâncias, cantando nas praças, na praia... Iria requerer muita estrutura.” O Rei foi alvo de críticas recentemente por conta da adaptação televisiva do filme sobre Tim. Seu papel na vida do cantor teria sido suavizado.

Amigo e parceiro de Tim Maia em vida, o cantor e compositor carioca Hyldon aprovou a escolha dos nomes que vão encabeçar o tributo ao lendário cantor de soul, mas vê uma lógica de mercado nesta seleção. “É também uma jogada de marketing. A Ivete tem um público muito grande, o Criolo representa essa galera mais nova, do hip-hop. Particularmente, sou fã dos dois. Acho que o universo do Tim é bem próximo deles. Apesar de a Ivete ser conhecida como uma cantora de axé, ela tem grandes recursos vocais. Não são pessoas ligadas diretamente ao soul, mas que mandam muito bem”, avaliou o músico em entrevista ao Estado.

Figura ausente na cinebiografia de Tim, Hyldon, compositor de Na Rua, Na Chuva, Na Fazenda, criticou a postura de Carmelo Maia na condução do legado do pai. “O Carmelo conhecia muito pouco o Tim. Foi criado pela tia e pela avó. O cara não está preocupado com a obra do pai. Pô, você ouve a música do Tim em comercial de supermercado! Qualquer dinheiro que der, ele libera a música do Tim. Troca até a letra das músicas, sabe? Músicas históricas! Já avisei aqui em casa: ‘depois que eu morrer, se vocês liberarem a música para supermercado, eu volto aqui’”, brincou.

Clássicos. Elis Regina, por Maria Rita (2012), e Tom Jobim, por Vanessa da Mata (2013), foram os primeiros contemplados pela empresa de cosméticos, antes de Tim, por Criolo e Ivete. Ano passado, numa mudança de eixo conceitual, o samba, como gênero, foi quem recebeu as honrarias. O formato adotado até agora se mantém intacto, com shows gratuitos realizados em algumas capitais do País, a partir de abril - a novidade neste ano é a inclusão de Fortaleza na turnê, além de Porto Alegre, Recife, Salvador, Brasília, Rio e São Paulo.

A direção musical é de Daniel Ganjaman - um dos responsáveis por repaginar a carreira de Criolo a partir do Nó Na Orelha (2011). “É que o povo não vai lá em casa, nos saraus... Isso é muito forte em minha vida. A minha forma de interpretar vem dessa vertente: o samba, a soul music, os funks dos anos 70. Eu ouvi muito. Até hoje eu ouço”, afirmou Ivete. Mais sucinto em suas observações, Criolo pregou respeito à obra do soulman brasileiro, em coletiva de imprensa realizada ontem, em restaurante na zona oeste de São Paulo. 

Segundo Ganjaman, o show fatalmente irá passear pelos clássicos de Tim, numa dinâmica com performances solo e em dueto de Ivete e Criolo. “Uma parte da fase Racional também será contemplada.” Bases pré-gravadas, samples e efeitos, recursos muito presentes no rap, devem ser utilizados, mas em segundo plano, detalha o produtor. “A estrutura é a banda. Isso era muito Tim Maia.” A celebração em torno da obra de Tim terá sua primeira etapa em Porto Alegre em 12 de abril e finaliza com show em São Paulo no dia 28 de junho, no Parque da Juventude. (Atualizado às 19h37)

PROGRAMAÇÃO:

Nivea Viva Tim Maia

PORTO ALEGRE

12 de abril, às 16h30

Anfiteatro Pôr do Sol Av. Edwaldo Pereira Paiva, s/n

RECIFE

26 de abril, às 17h30

Parque Dona Lindu Av. Boa Viagem, s/n

SALVADOR

24 de maio, às 16h30

Elevador Lacerda Praça Visconde de Cairu, s/n - Cidade Alta

FORTALEZA

31 de maio, às 16h30

Aterro da Praia de Iracema Avenida Historiador Raimundo Girão, 800

BRASÍLIA

14 de junho, às 17h00

Parque da Cidade Dona Sarah Kubitschek, Praça das Fontes, Asa Sul

RIO DE JANEIRO

21 de junho, às 17h00

Praia de Copacabana (altura da Av. Princesa Isabel)

SÃO PAULO

28 de junho, às 16h30

Parque da Juventude Av.Cruzeiro do Sul, 2.630 - Santana

Tudo o que sabemos sobre:
Tim MaiaMúsicaIvete SangaloCriolo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.