Iron Maiden está de volta ao Brasil

Vão ser dois shows, um no Rio de Janeiro, nesta sexta, e em São Paulo, no sábado. Com isso, o Iron Maiden, talvez a mais persistente banda de heavy metal do mundo, pára em terras brasileiras mais uma vez. A última ocasião em que Bruce Dickinson e companhia vieram foi no Rock in Rio 3, em janeiro de 2001. Há, portanto, três anos para pôr em dia em uma noite.E o público que quer atualizar seu papo com o Iron Maiden é fiel. Trata-se de um grupo grande e de idades bem variadas. Os mais velhos assistiram ao primeiro show da banda no País, em 1985, no primeiro Rock in Rio. Depois disso eles vieram mais três vezes. Muitos dos mais novos viram o último show e testemunharam um estilo que perdura.Ver um show do Iron Maiden é um pouco como um teatro musical nervoso e ao ar livre. Em primeiro lugar porque, por mais que o novo disco Dance of Death receba elogios, é certo que eles tocarão megahits históricos como The Number of The Beast, Fear of the Dark e Run to the Hills. Igual àqueles musicais que ficam anos em cartaz e cujos diálogos há quem saiba de cor.Depois, e impressiona como uma banda atreva-se a isso hoje, bonecos do monstro Eddie, o mascote do Iron Maiden, sempre aparecem no palco. No Rock in Rio 3, entrou um enorme boneco inflável de Eddie e Bruce Dickinson simulou uma luta com ele. E tome pulos, guitarristas performáticos, conversas com a platéia que mais parecem discursos. No mesmo show, Dickinson parou a música para comunicar ao público que "não queremos tocar apenas as velhas canções, queremos fazer e tocar novas canções de metal".Em seguida, pediu a ajuda da platéia para uma foto que, confessou no ato, seria a capa de um DVD. A foto foi feita, Dickinson agradeceu e aquela multidão cabeluda vestida de preto aplaudiu educadamente. Ver Iron Maiden ao vivo, com seu metal melódico, sua abordagem alegórica e vibrante de assuntos funestos, tem algo de teatral.De resto é ver seis quase senhores ingleses que parecem se recusar a envelhecer. Estão em turnê mundial com seu 13.º disco, já viveram 25 anos e continuaram a tocar metal mesmo depois de todos os necrológios que, ciclicamente, se faz para o gênero. A insistência pode ser prova de que, afinal, retirando-se toda a perfumaria do heavy metal, o que há de concreto é um som que sim, é bem trabalhado. E boa notícia, até ontem havia 6 mil ingressos para o show em São Paulo e 1 mil para o do Rio.Iron Maiden - Em São Paulo: Estádio do Pacaembu. Rua Charles Muller s/nº. Sábado, dia 17, às 21h. Preços: de R$ 50 a R$ 120. No Rio de Janeiro: Claro Hall. Av. Ayrton Senna 3000, Barra da Tijuca. Sexta-feira, dia 16, às 22h30. Preços: de R$ 120 a R$ 250.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.