Indústria fonográfica "dobra" adolescente de 12 anos

A poderosa indústria fonográfica americana dobrou o primeiro réu dos 261 processos abertos contra internautas acusados de baixar e distribuir arquivos digitais de música. Trata-se de uma garota de 12 anos, Brianna LaHara, de Nova York, cuja mãe aceitou desembolsar US$ 2 mil para se livrar da ação. A adolescente era acusada de baixar mais de mil músicas usando o serviço de troca Kazaa.Mas a associação de gravadoras, a Riaa, também foi parar no banco dos réus. Um procurador da Califórnia entrou com uma ação por conta do programa de anistia ao internauta. Conforme anúncio, a Riaa garante poupar o internauta que admitir ter baixado ilegalmente música na internet, destruir os arquivos e prometer abandonar a pirataria. Para o procurador, trata-se de prática "injusta, enganosa e fraudulenata".Nos últimos três anos, as vendas da indústria fonográfica caíram 31%. Para as gigantes do setor (Universal, BMG, EMI, Sony e Warner), a pirataria digital tem boa parte da culpa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.