Ídolos adolescentes são meninos supercomportados

Eles são bons filhos, não gostam de balada e alguns nem idade para beber têm. Felipe Dylon, Lucas Lima e Pedro Leonardo são a faceta bem-comportada do pop nacional. Suas músicas situam-se na faixa do pop romântico-inocente feito para adolescentes, uma espécie de Jovem Guarda juvenil. Um dos maiores sucessos do momento, o carioca Felipe Dylon, de 16 anos tem hits como Deixa Disso e Musa do Verão entre as músicas mais tocadas nas rádios desde seus lançamentos. Mas, o mesmo Felipe que passa o dia inteiro ?na cama, no chuveiro? (como diz a letra de Deixa Disso), pensando na garota dos sonhos, define-se como ?um cara caseiro?, preocupado com os estudos e cuja idéia de balada é um banquinho e violão nas festas dos amigos. Apesar de não estar namorando firme com ninguém ? ?Gosto da liberdade?, diz -, no futuro quer casar e ter filhos, estabelecer uma família. O mesmo objetivo de Pedro Leonardo, da dupla Pedro & Thiago, também de 16 anos. Namora firme há dois anos e dois meses uma garota de 19 anos. Só sai de casa por insistência dela, que gosta de dançar. "Se pudesse, não saía de jeito nenhum. Prefiro ficar tocando violão, piano, baixo ou assistir a um filme", revela. Lucas Lima, integrante do grupo Família Lima, é o exemplo mais bem acabado do estilo de vida que levam os certinhos do pop. "Para mim, balada mais pesada que existe é jantar fora e pegar um cinema", afirma. "Não existe alguém mais caseiro do que eu. Meu programa preferido é ficar em casa e ver um filme." Ele não está fazendo gênero. Experimentou álcool pela primeira vez aos 20 anos, num churrasco da família. E não aprovou. "O cheiro da cerveja me incomoda." Cedeu um pouco e hoje beberica, no máximo, uma garrafinha de 350 ml de Smirnoff Ice. "Mais que isso não dá." Mulher em sua vida só se for a sério. Nada de romances ocasionais. "Sou um cara organizado em tudo, metódico, gosto das coisas definidas. Quero saber onde estou pisando." Atualmente está sozinho, já que os ensaios com o grupo e a faculdade (Lucas faz Música na Unicamp) tomam boa parte do seu tempo. Apesar de ser do tipo sossegado, Lucas tem interessasse por músicas diferentes do repertório tradicional da Família Lima (pop e música clássica). Confesso admirador de Beethoven, criou uma banda de rock chamada In Vitro, onde toca heavy metal, de Papa Roach a Limp Bizkit, passando por Charlie Brown Jr. "Nem sempre o som reflete a personalidade", filosofa Lucas. Não mesmo. A única familiaridade que parece ter com o rock são as roupas pretas que costuma usar, mas que de maneira alguma o fariam passar por um metaleiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.