Comunidade Shalon/Divulgação
Comunidade Shalon/Divulgação

Idan Raichel traz sua música híbrida a São Paulo

Cantor israelense e exposição sobre templos judaicos explicam história de um povo

Felipe Branco Cruz, do Jornal da Tarde,

03 de dezembro de 2009 | 14h23

A cultura judaica entra em evidência em São Paulo desta quinta-feira, 3, ao dia 20 de dezembro. Uma exposição sobre os templos sagrados dos judeus e um show do músico israelense Idan Raichel na cidade levam para a arte princípios como paz, união e diálogo. A mostra O Templo Sagrado - Um Legado Para a História da Humanidade, abre também nesta quinta, na Casa da Fazenda do Morumbi, e a apresentação de Raichel ocorre no domingo, às 20h, no Teatro Abril, na Bela Vista.

 

A exposição mostra, em maquetes com escalas de 1 para 100, o Tabernáculo e o Segundo Templo, destruídos há milhares de anos em Jerusalém, e o que seria o Terceiro Templo - que os judeus acreditam que será construído um dia. "Na literatura judaica temos documentados em livros como os templos eram exatamente. Por isso, as maquetes possuem 80% de precisão", afirma o rabino Yacov Gerenstadt, que organizou e coordenou a exposição.

 

Os detalhes das maquetes ajudam a entender detalhes, como a ausência de ferro na construção do Segundo Templo, "porque esse é metal é impuro", usado para construir armas. "Mas o Terceiro Templo, quando for construído, será em um tempo de paz e portanto todo feito de ferro, quando ele não será mais usado para violências", explica Gerenstadt.

 

Réplicas de mobílias e roupas usadas por judeus antigamente ajudam a dar o tom da exposição. Um incenso, composto por 11 especiarias trazidas do Oriente Médio, será queimado para dar aos visitantes a mesma sensação que os judeus sentiam quando visitavam os templos.

 

Música pela paz

 

O trabalho do cantor israelense Idan Raichel, de 32 anos, também vem cheio de simbolismos. O músico, que se apresenta pela primeira vez no Brasil, é celebrado no exterior por misturar pessoas de diversas nacionalidades e fazer um som único, algo parecido com rock. Ele já vendeu em todo o mundo mais de 500 mil discos.

 

Ao País, Raichel traz dez músicos de origens tão distintas como Iêmen, Cabo Verde,

Cuba, Marrocos, Colômbia, Uruguai, Rússia e Estados Unidos.

 

O responsável por trazer o cantor a São Paulo é o rabino Ádrian Gottfried, da Comunidade Shalom. "O som dele transcende as fronteiras israelenses porque mistura estilos e cria uma diversidade multicultural totalmente diferente", diz o rabino.

 

Para se ter uma ideia da influência de Raichel, mesmo sendo judeu, o artista foi o único israelense a ter um programa especial de mais de uma hora exibido pelo canal árabe Al Jazeera e ter suas canções tocadas por rádios palestinas. Coerente ao seu projeto de paz, aos 18 anos, quando todo israelense é obrigado a servir o exército, Raichel conseguiu não ir para o campo de batalha e se dedicar à banda das forças armadas, apresentado-se por todo o país.

 

Exposição ‘O Tempo Sagrado’

De quinta, 3, até dia 20. Casa da Fazenda: Av. Morumbi, 5594. 3742-2810. Das 10h às 17h. Entrada Franca

 

Show Idan Raichel

Domingo, às 20h. Teatro Abril: Av. Brigadeiro Luiz Antônio, 411. 3849-1477. De R$100 a R$180

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.