Ralph Orlowski/Reuters
Ralph Orlowski/Reuters

Hugh Laurie: Aos 10 anos queria ser músico de blues, não o Dr. House

Nesta quarta, ator britânico apresenta o show do seu primeiro disco, em Paris

EFE,

11 de maio de 2011 | 16h33

PARIS - O ator britânico Hugh Laurie, astro da série de TV House, apresenta nesta quarta-feira em Paris o show de seu primeiro disco, Let them Talk, e revela que aos dez anos de idade sonhava em ser cantor de blues e não o médico de mais sucesso da TV americana. Em entrevista publicada pela revista francesa L'Express, Laurie explica que a música é a vertente mais pessoal de seu trabalho. "As canções deste disco estão mais próximas de mim, de tudo que fiz antes", afirma o ator, escritor, músico e diretor, que reconhece que é entre as partituras que se sente mais à vontade.

 

Hugh lamenta que as pessoas geralmente associem o blues a ideias tristes, deprimentes. Ele defende que o estilo musical "também pode ser alegre", pois "tem muito humor, vida e sexo", diz o músico, que interpretará nesta quarta-feira no Teatro Trianon, em Paris, clássicos de Ray Charles, Robert Johnson e Memphis Slim, e depois segue para a Alemanha.

 

Apaixonado por blues, Hugh revela que o primeiro contato com o gênero musical ocorreu durante uma viagem de carro em família ao ouvir a canção I Can't Quit You Baby, de Willie Dixon. "Na época não era comum escutar muito esse tipo de canções no rádio", diz o ator de 51 anos, que reconhece que, atualmente, a presença do blues nas rádios continua pequena.

 

Para Hugh Laurie, um dos objetivos de seu disco de estreia no mundo musical, é que o público descubra talentos musicais frequentemente desconhecidos. "O Lead Belly (1885-1949) era tão bom escrevendo canções como Bob Dylan... Acho que o próprio Bob Dylan concordaria... É uma vergonha que tão poucas pessoas o conheçam", critica.

 

Sobre seu papel em House, o ator revela que não sabe o que acontecerá quando terminar o último ano de contrato que lhe resta, pois os produtores e o estúdio ainda não entraram em acordo sobre a continuidade da série.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.