Homenagem a 4 grandes nomes da música brasileira

Quatro pilares da música brasileirapopular e erudita, símbolos de inovação e donos de obragrandiosa, pautada pela qualidade artística, Villa-Lobos(1887-1959), Pixinguinha (1898-1973), Luiz Gonzaga (1912-1989) eTom Jobim (1927-1994) serão homenageados nesta sexta-feira e no sábado nopalco do Teatro Alfa. Concebido por Myriam Taubkin e GabrielFontes Paiva, o show tem direção cênica e de arte de MárcioAurélio, com videocenário de Marcelo Rosenfeld e arranjos deEdson Alves, Thiago Costa, Benjamim Taubkin e Luis Felipe Gama. Além de Gama, o elenco conta com um generoso número deintérpretes e músicos de primeira linha, como Ney Matogrosso,Dominguinhos, Paulinho da Viola, Fábio Zanon, Ana Luiza, CrisAflalo, Proveta, Zeca Assumpção, Toninho Carrasqueira, PauloSérgio Santos, Guelo e outros. Ney Matogrosso, que já gravouVilla-Lobos e Tom Jobim, "procurando o mais próximo um do outro" vai cantar Pixinguinha pela primeira vez. "Eu nem sabia que eletinha uma obra com letra", surpreende-se. Mas para ele, dosquatro o mais desafiador para um intérprete é Tom Jobim. "Temaquelas melodias que fazem a gente apanhar", brinca. O projeto, segundo esclarece Myriam Taubkin, nãopretende nada além de mostrar a beleza da obra desses artistas.Foram escolhidos "clássicos para o público se identificar e tera oportunidade de ouvir músicas que têm na lembrança, mas comarranjos novos, algumas interpretações não muito usuais e comencontros, alguns deles acontecendo pela primeira vez num palco" Entre os temas mais conhecidos do repertório estão Asa Branca, Chega de Saudade, O Trenzinho do Caipira e Carinhoso. O show teve uma única apresentação fechada em março paracomemorar os 75 anos da empresa Roche. "Pensando em traçar umapanorama desses últimos 80 anos da nossa música, unimos artistasde grande relevância, inventores, cada um no seu caminho.Villa-Lobos, não há dúvida, é o grande gênio, tem uma obraimensa, escreveu para todos os instrumentos, revolucionou oviolão brasileiro", exemplifica Myriam. "Pixinguinha é o precursor do choro e talvez o primeirogrande arranjador de música brasileira. Luiz Gonzaga é um granderevolucionário da música do Nordeste, mudou completamente afunção da sanfona na música brasileira, tem uma força muitogrande", prossegue. "E Tom Jobim bebeu nessas fontes todas, masnão só nessas. Então ficou bonito se mostrar essa trilha danossa música." Villa-Lobos, Pixinguinha, Luiz Gonzaga e Tom Jobim. TeatroAlfa. Rua Bento Branco de Andrade Filho, 722, (11) 5693-4000. Sáb., 21 h; dom.,18 h. R$ 30 a R$ 80

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.