Hoje é dia de ouvir Luis Fernando Verissimo

Há quem não conheça uma faceta na vida do escritor Luis Fernando Verissimo, que foge completamente de sua famosa habilidade literária. Ele não apenas aprecia a boa música como gosta de executá-la em seu sax alto como integrante da banda Jazz-6, desde 1995. O grupo, formado ainda pelo contrabaixista Jorge Gerhardt, o pianista Adão Pinheiro, o trompetista Luís Fernando Rocha, o flautista e o sax tenor Geraldo Schuler e o baterista Gilberto Lima, faz show de lançamento do terceiro CD, A Bossa do Jazz, pela gravadora Paulinas-Comep, hoje, no Sesc Anchieta. O espetáculo, segundo adianta Verissimo, será basicamente inspirado no repertório instrumental de A Bossa do Jazz. "É um equilíbrio da bossa nova e do jazz. São seis músicas de um gênero e seis do outro", explica o escritor e saxofonista. Na realidade, os dois se confundem. O jazz americano de Harry Warren e Mack Gordon (There Will Never Be Another You), de Michel Legrand (Watch What Happens), Maxwell Anderson, Kurt Weill (September Song), entre outros, ganha cores bossa-novistas, enquanto as canções brasileiras, como a bossa de Tom Jobim, receberam levada jazzística. Só de Tom Jobim, a banda (sim, a escolha do repertório foi feita em consenso pelo sexteto) selecionou quatro composições: Corcovado, Meditação, Wave e Amor em Paz. O disco traz ainda releituras instrumentais de Oceano, de Djavan, e Aquarela do Brasil, de Ary Barroso. O repertório reúne outros tantos clássicos da música americana, como As Time Goes By, de Herman Hupfield (aquela que o Sam toca sem parar em Casablanca) e One More Kiss, Dear, de Vangelis (da trilha do futurista Blade Runner). Enquanto isso, no campo da literatura, a produção não pára. Verissimo acaba de escrever um livro sobre seu time, o Internacional de Porto Alegre, que deve ser lançado no início do ano que vem. Agora, ele se prepara para escrever um romance cujo tema são os cinco dedos da mão. "Vou escrever sobre o polegar, mas não sei no que vai dar." A obra, ainda sem previsão de lançamento, reúne também textos de Fernanda Young, Mário Prata e Carlos Heitor Cony. Jazz-6 - Hoje, às 21 horas. Teatro do Sesc Anchieta: Rua Dr. Vila Nova, 245, tel. 3234-3000. Entrada franca.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.