Herdeiros de Tom Jobim processam Universal

Os herdeiros do compositor Tom Jobim querem reaver os direitos sobre Garota de Ipanema e outros seis hits em países da Ásia e da América Latina. Para isso, corre uma ação na Justiça de Nova York contra a Universal Music Publishing Group, editora do grupo Universal, acusada de explorá-las indevidamente e não pagar os direitos autorais. O processo começou neste mês e o advogado da família Jobim, John Rosenberg, acredita que deve durar mais de um ano. Ele não quis precisar as cifras que envolve. "Como não há prestação de contas, não sabemos quanto se perde", explicou. "Mas, tratando-se de Tom Jobim, devem ser cifras substanciais." A questão teve início logo após a morte de Tom Jobim, em 1994. Naquela época, Norman Gimbel, que compôs a letra em inglês de alguns de seus hits, vendeu os direitos para a Universal. "Eles passaram a cobrar 50% dos direitos de gravação e execução, mesmo em versões instrumentais ou cantadas com a letra original, em português. E exploram essas músicas sem o nosso conhecimento", explica o filho do compositor, Paulo Jobim. "É algo como eu fazer uma versão brasileira para Night and Day, não dar conta das regravações e receber por sua execução em inglês. Tentamos acordo desde então, mas nunca houve uma proposta satisfatória." Além de Garota de Ipanema, a ação reclama os direitos sobre Samba de Uma Nota Só, Corcovado, Meditação, Insensatez, Esquecendo Você e Sabiá. Todas estão entre as mais executadas do mundo e algumas tiveram letristas como Vinícius de Moraes e Chico Buarque, que também seriam prejudicados. A ação em Nova York fala da execução em quatro países da Ásia (Hong Kong, Taiwan, Malásia, Cingapura) e outros quatro da América Latina (México, Chile, Argentina e Colômbia), mas Paulo Jobim adverte que o processo não envolve a subsidiária da Universal no Brasil. "Pensamos em fazer negócios com eles", contou. "Estas músicas haviam sido registradas em pequenas editoras, absorvidas mais tarde pela Universal Publishing, que faz parte do conglomerado." Enquanto a disputa corre nos Estados Unidos, mais dois trabalhos de Tom Jobim chegam ao público brasileiro. Ainda neste semestre serão lançados um DVD com um show que ele fez em Portugal e o disco, inédito, feito como brinde da Odebretch em 1987, nos 60 anos do maestro e lançado comercialmente em pequena escala logo após sua morte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.