BERTRAND GUAY
BERTRAND GUAY

Herdeiros de Prince tiram da internet homenagem espontânea à 'Purple Rain'

O vídeo, que foi retuitado mais de 13.500 vezes, desapareceu recentemente

AFP

27 Julho 2018 | 22h20

Prince era famoso por fazer cumprir rigorosamente os direitos autorais de suas canções, e os que administram sua herança mantêm ativa essa frente de batalha após sua morte: conseguiram eliminar das redes sociais um vídeo em homenagem ao artista.

Um fotógrafo do Star Tribune, o jornal da cidade natal de Prince, Minneapolis, publicou no Twitter um vídeo feito por ele que mostra uma multidão cantando espontaneamente na rua a canção Purple Rain no dia da sua morte, em 2016.

O vídeo, que foi retuitado mais de 13.500 vezes, desapareceu recentemente.

O fotógrafo, Aaron Lavinsky, disse que o Universal Music Publishing Group, que possui os direitos sobre as canções de Prince, ordenou a eliminação do vídeo.

+ Herdeiros de Prince assinam acordo com Sony para relançar seus discos

A editora disse se apoiar na Lei dos Direitos Autorais do Milênio Digital (DMCA, em inglês), uma lei americana polêmica de 1998 que permite aos titulares de direitos autorais emitirem avisos de eliminação de material on-line eximindo as empresas de internet de responsabilidade.

"As retiradas da DMCA são uma ferramenta importante para os artistas que necessitam proteger sua propriedade intelectual on-line, mas o fato de que uma grande corporação abuse do sistema para eliminar um vídeo de notícias gravado por um fotógrafo de jornal é inapropriado", tuitou Lavinsky.

+ Autoridades dos EUA não acusarão ninguém pela morte de Prince

Os representantes da Universal não responderam imediatamente a um pedido de comentários.

Prince sempre agiu de forma contundente em relação às publicações na internet, fazendo com que sua equipe exigisse aos fãs que eliminassem vídeos de shows e até mesmo suas próprias versões de suas canções.

O administrador dos bens de Prince flexibilizou algumas das diretivas desde a morte do cantor, incluindo a disponibilização de suas músicas em serviços de streaming como Spotify e a assinatura de novos acordos com gravadoras com as que Prince tinha conflitos.

Mais conteúdo sobre:
músicaPrince

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.