Herbert Vianna pode sair da UTI na próxima semana

A recuperação do líder do Paralamas do Sucesso levou a equipe médica a iniciar a retirada do aparelho de respiração artificial e ele poderá deixar a Unidade de Terapia Intensiva no início da próxima semana. Os médicos iniciaram a retirada da ventilação assistida hoje à tarde. Por esse sistema, Herbert comandava a freqüência respiratória e o aparelho apenas o ajudava a respirar profundamente. Os médicos desligaram o equipamento por uma ou duas horas em intervalos de seis horas para avaliar a reação de Herbert. "Vamos treiná-lo para que ele volte a respirar sozinho", disse Pantoja.O pneumologista João Pantoja calcula que em dois dias o cantor poderá ficar livre do aparelho. Será instalado então um tubo em T - mecanismo pelo qual Herbert recebe oxigênio umidificado, mas respira voluntariamente. O fato de o líder dos Paralamas ter aberto os olhos e mexido os braços espontaneamente aponta que ele está saindo lentamente do coma, segundo Pantoja. De acordo com o médico, o nível do coma de Herbert varia entre 7 e 8, numa escala que vai de 3 (morte cerebral) a 15. Quando o cantor chegou ao Hospital Copa D´Or, há 10 dias, ele estava no nível 4 do coma.O cantor Herbert Vianna abriu os olhos espontaneamente na manhã de hoje, menos de 10 dias após o acidente de ultraleve que o deixou gravemente ferido e provocou a morte de sua mulher, Lucy Needham Vianna. Ele também conseguiu mexer os braços sem o estímulo dos médicos, mas ainda não tem reação alguma nas pernas.O pai do cantor Herbert Vianna, brigadeiro Hemano Vianna, disse que está confiante na recuperação do filho, mas preocupado com a reação que ele poderá ter quando souber da morte da mulher, Lucy. "Temos que ter os pés no chão, temos um longo caminho pela frente. Nossa preocupação está voltada para mais adiante, para a reintegração dele à vida pessoal, com os filhos e quando vier a saber do falecimento da nossa Lucy", disse Hermano, com lágrimas nos olhos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.