Guitarrista do REM acusado de mentir no tribunal

O guitarrista da banda R.E.M., Peter Buck, foi acusado nesta quarta-feira, num tribunal de Londres, de mentir em juízo a respeito de um tumulto a bordo de um vôo entre Seattle e a capital britânica, há um ano. O promotor, David Bate, admitiu que Buck teve "motivos poderosos" para tentar confundir o julgamento: a necessidade "de proteger sua carreira musical".Buck nega as acusações de agressão, má conduta e danos ao patrimônio da companhia British Airways. Ele diz que foi vítima da reação adversa de uma pílula para dormir com um copo de vinho tinto. Mas afirma também que não se lembra de nada do que aconteceu.A acusação diz que Buck, de 45 anos, agiu como um "bêbado truculento" depois de consumir 15 copos de vinho a bordo. Segundo os promotores, Buck virou um carrinho de comida, confundiu a bandeja de uma aeromoça com um CD player, afirmou que uma passageira desconhecida era sua mulher e se atracou com os tripulantes, jogando iogurte sobre eles. Comissários de bordo disseram no tribunal que tiveram de afastar Buck de uma porta de emergência quando ele disse que estava "indo embora" no meio do vôo.O advogado de Buck argumenta que ele não agiu com intenção criminosa. Chamou alguns famosos ao tribunal para assegurar que o acusado é um homem pacato e pai de família, que não costuma se exceder na bebida ou consumir drogas. Testemunharam a favor de Buck seus colegas da banda Michael Stipe e Mike Mills e o vocalista do U2, Bono.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.