Rayner Peña/EFE
Rayner Peña/EFE

'Guinness' oficializa recorde de maior orquestra do mundo na Venezuela

Organização reconheceu a presença de 8.573 músicos em apresentação realizada em Caracas, número menor que os 12 mil estimados inicialmente, mas que supera marca russa

AFP, Agência

21 de novembro de 2021 | 11h38

A Venezuela recebeu no sábado, 20, o registro do recorde no Guinness da "maior orquestra do mundo", após conseguir pôr em cena 8.573 músicos - e não cerca de 12 mil, como divulgado inicialmente - que interpretaram a Marcha Eslava de Tchaikovsky.

A marca foi alcançada pelo Sistema de Orquestras Infantis e Juvenis da Venezuela, um programa estatal fundado em 1975 pelo falecido maestro José Antonio Abreu, que deu acesso à educação musical a milhares de crianças de classes populares. O recorde anterior, de 2019, foi registrado em São Petersburgo, Rússia, por uma orquestra de 8.097 músicos.

"Posso confirmar que esta tentativa foi bem sucedida. Parabéns. Guinness World Record como a maior orquestra, vocês são oficialmente assombrosos", disse a encarregada de dar o veredicto em um telão durante um ato na sede do "Sistema", como é usualmente conhecido.

A tentativa de registrar o recorde foi feita no sábado passado no pátio da Academia Militar da Venezuela, em Caracas.

Durante os 12 minutos de duração da Marcha de Tchaikovsky, 260 auditores da empresa KPMG observaram se cada músico respeitava as regras para o novo recorde, como se não compartilhavam instrumentos e que todos tocassem por pelo menos cinco minutos.

Ainda que a busca pelo recorde ocorrida em 13 de novembro tenha ocorrido no pátio da Academia Militar da Venezuela com cerca de 12 mil músicos venezuelanos, os encarregados de certificar a cifra reconheceram que a orquestra contava com 8.573 integrantes, de crianças de 12 anos a adultos integrantes da principal orquestra do país, a Simón Bolívar, que interpretaram a Marcha Eslava regidos pelo maestro Andrés Ascanio, de 34 anos.

"A maior orquestra consiste de 8.573 músicos e foi formada pelo Sistema Nacional de Orquestras e coros juvenis e infantis da Venezuela, em Caracas, em 13 de novembro de 2021", indica o certificado da organização do Guinness.

"É uma façanha, não só do Sistema, mas do país", disse, em meio a aplausos, Eduardo Méndez, diretor deste programa, do qual participam um milhão de membros de todo o país.

A Venezuela acumula outros recordes no Guinness, entre as quais belezas naturais como a Salto Ángel, a cachoeira mais alta do mundo, ou o chamado "Relâmpago do Catatumbo", o local com maior quantidade de tempestades elétricas no planeta.

Também detém os títulos do maior teleférico do mundo, dos maiores arepa e pão de presunto, comidas típicas venezuelanas, e até as cinco coroas no Miss Mundo são um recorde neste país exportador de misses.

"O Sistema", que foi replicado por dezenas de países, é berço de expoentes como Gustavo Dudamel, diretor musical da Ópera de Paris e da Filarmônica de Los Angeles, que enviou seus cumprimentos através de um vídeo publicado nas redes sociais.

A obra de Piotr Ilich Tchaikovsky, composta em 1876 como um hino para inspirar os soldados russos e sérvios na guerra com a Turquia, foi a terceira do programa de oito peças executadas no concerto de 13 de novembro.

"O Sistema" já tinha reunido mais de 10 mil músicos para homenagear o maestro Abreu por seu falecimento. Na ocasião, foi impossível certificar o recorde devido aos prazos e à documentação exigidos pelo Guinness.

Presente na cerimônia para celebrar o recorde, o embaixador russo na Venezuela, Serguei Melik-Bagdasarov, parabenizou o país por sua vitória "digna".

"Sabemos todos que o recorde anterior pertencia à Rússia. Agora o feito é seu, mas compartilhamos esta vitória com prazer", declarou o diplomata no ato transmitido pela TV estatal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.