Guerra contra a Web lidera lista de gafes da indústria da música

O caçador de talentos que rejeitouos Beatles foi considerado por muito tempo como responsávelpela maior gafe na história do setor de música. Mas a mancada bilionária de Dick Rowe foi superada, nalista da revista Blender sobre "os 20 maiores erros dasgravadoras em todos os tempos", pelo fracasso do setor emaproveitar a Internet. As grandes gravadoras conquistaram a desonra ao forçar oserviço de troca de arquivos Napster a sair do mercado, em2001, em lugar de descobrir uma maneira de ganhar dinheiro comsuas dezenas de milhões de usuários. Os praticantes de downloads simplesmente se espalharam porcentenas de outros sites, e setor está em queda livre desdeentão. "A campanha das gravadoras para impedir que sua músicafosse distribuída gratuitamente via Internet era o equivalentea tentar deter um furacão com uma rolha -- mais de um bilhão dearquivos são trocados por mês em redes de troca de arquivos",afirmou a Blender em sua reportagem. Rowe ficou em segundo lugar por recusar os Beatles, depoisque a banda, despreparada, realizou uma audição desastrosa em1962. O empresário dos Beatles, Brian Epstein, mais tardecontaria que o executivo da Decca Records lhe havia dito que"grupos com guitarras estão saindo de moda", comentário queRowe sempre negou ter feito. Ele posteriormente assinaria comos Rolling Stones. O fundador da Motown, Berry Gordy, ficou no terceiro lugar,porque vendeu a gravadora das Supremes e de Marvin Gaye, que naépoca estava perdendo dinheiro, por cerca de 60 milhões dedólares, em 1988. No ano seguinte, a A&M Records seria vendida por cerca de500 milhões de dólares. E David Geffen recebeu cerca de 700milhões de dólares em 1990 pela Geffen Records. Gordy, porém,manteve os direitos autorais sobre o catálogo de sua gravadora. A Geffen Records aparece duas vezes na lista: em 11o lugar,por processar Neil Young nos anos 1980 alegando que a músicaque ele vinha gravando era pouco comercial, e em 12o porinvestir supostos 13 milhões de dólares em um álbum doGuns'n'Roses que ainda não saiu, depois de mais de uma décadade trabalho. Outros ocupantes da lista da vergonha incluem a ColumbiaRecords, em 10o lugar, por ter dispensado Alicia Keys e 50 Centantes que estes fizessem sucesso, e a Warner Bros. Records, porum contrato de 80 milhões de dólares com o grupo R. E. M., em1996, que só lhe trouxe prejuízo. (Por Dean Goodman)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.