Rafael Arbex/ESTADÃO
Rafael Arbex/ESTADÃO

Green Day faz um dos melhores shows do ano no Brasil: 'Ainda estamos vivos'

Banda atraiu um público de 25 mil pessoas para a Arena Anhembi, na capital paulista, na noite desta sexta-feira, 3

João Paulo Carvalho, O Estado de S.Paulo

04 de novembro de 2017 | 02h02

Pense rápido: quantos power trios ruins existem no rock? Você seria capaz de apontar algum, sem pestanejar? Do The Police, passando pelo Motörhead, o Cream e o Rush. Não há. E o Green Day, que subiu ao palco na Arena Anhembi na noite desta sexta-feira, 3, na zona norte da capital paulista, comprovou tal argumento com um show enérgico e recheado de clássicos dos seus mais de 30 anos de carreira.

Mike Dirnt (baixo), Tré Cool (bateria) e Billie Joe (guitarra e vocal) mostraram que venceram a batalha contra o tempo. Quarentões e pais de família, os integrantes do Green Day externaram o mesmo ímpeto de três décadas atrás quando saíram da sarjeta californiana para o mundo. A terceira vinda ao Brasil - a primeira foi em 1998 e a segunda em 2010 - mostrou o quanto o grupo norte-americano amadureceu.

O show começou com uma sequência poderosa do disco mais recente, Revolution Radio, lançado no  ano passado. Bang Bang e a faixa título do álbum deram as boas vindas em grande estilo. O bem sucedido trabalho do power trio teve um impacto muito forte sob o público, que se dividia entre semi-maduros, que foram adolescentes na década de 1990, e jovens que acabaram de sair das fraldas.

+++ Novo álbum do Green Day resgata o bom e velho punk rock da banda

A dobradinha Holiday e Boulevard of Broken Dreams, do renomado American Idiot (2004), só fortaleceu a tese acima. Com um Billie Joe inspirado, a exemplo do que aconteceu no show no Rio de Janeiro, o Green Day fez valer os anos de espera para voltar ao País.

O frontman do Green Day segurou por várias vezes a bandeira do Brasil e do movimento LGBT. A performance cheia de gás não lembrou em nada o Billie Joe problemático e que foi parar no reabilitação há alguns anos para se tratar da dependência de álcool e das drogas.

O show do Green Day não tem roteiro e isso, para os fãs do bom e velho punk-rock, soa como algo prazeroso. Alguns fãs subiram ao palco para cantar e até tocar guitarra. Para muitos que estavam presentes ali, assistir ao show do Green Day foi como voltar no tempo e apreciar uma banda que os introduziu ao caminho do rock.

+++ Musical 'American Idiot', inspirado no álbum do Green Day, chega ao Brasil em 2017

Repertório. O set do Green Day passou por quase todas as diferentes fases do grupo. Basket Case, Longview, Welcome to Paradise e When I Come Around, sucessos de Dookie (1994), disco mais aclamado do conjunto, surgiu com força na apresentação. Jesus of Suburbia e American Idiot, entraram no bis. Uma emocionante versão acústica de Good Riddance (Time of Your Life) deu números finais ao show. "Ainda estamos vivos", berrou Billie Joe. Que seja por muitos e muitos anos, Billie, o rock agradece.

Depois de passar por Rio e São Paulo, o Green Day se apresenta neste domingo, 5, em Curitiba, e na próxima terça-feira, 7, em Porto Alegre.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.