Gravadoras processam Project Playlist por violação de direitos

Nove grandes gravadoras voltaram aabrir processo contra um provedor de música online, acusando aProject Playlist de "violação maciça" de seus direitos autoraissobre canções de artistas como U2 e Gwen Stefani. A Project Playlist (http//www.projectplaylist.com) permiteque seus usuários encontrem, executem e troquem música comoutros usuários da Internet facilmente e de graça, de acordocom o processo aberto no tribunal federal de Manhattan. O site compila um vasto índice de canções na Internet, e osusuários podem "rápida e facilmente buscar gravações de seusartistas favoritos no índice. Basta um clique e o ProjectPlaylist instantaneamente executa as canções em formato digitalna máquina do usuário, seja computador ou aparelho portátil",alega o processo. "A Project Playlist também começou a otimizar seu site parauso em iPhones e iPods", alegam as gravadoras no processo. A empresa, afiliada da KR Capital Partners, também permiteque os usuários divulguem suas playlists pessoais em sites deredes sociais como MySpace, Facebook e Blogger, segundo oprocesso. As gravadoras afirmam que o site projectplaylist.comrecebe mais de 600 mil usuários ao dia, com cerca de 9,5milhões diários de páginas visitadas. "Em resumo, todo o negócio (da Project Playlist) não é maisque uma imensa violação dos direitos autorais das gravadoras",alegam os queixosos. As gravadoras pedem uma ordem que proíba a Project Playlistde continuar a oferecer música aos seus usuários gratuitamente,e também querem indenização que não foi especificada na ação. As tentativas de contato com a Project Playlist não foramrespondidas. As nove gravadoras são Atlantic Recording, ElektraEntertainment e Warner Bros., do Warner Music Group; CapitolRecords, Priority Records e Virgin Records America, do EMIGroup; e Interscope Records, Motown Record e UMG Recordings, doUniversal Music Group, subsidiária da Vivendi.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.