Gravadoras processam centenas de internautas

Cumprindo ameaça feita em junho, a indústria fonográfica americana entrou com ações contra centenas de internautas sob acusação de baixar e distribuir músicas na internet ilegalmente. Ao todo, A Riia, associação de gravadoras que representa as gigantes Universal, BMG, EMI, Sony e Warner, abriu 261 processos. "Ninguém gosta de jogar pesado", afirma o presidente da Riaa, Cary Sherman, em comunicado. "Mas quando o seu produto é regularmente roubado, chega o momento em que você tem de tomar a ação apropriada."Os processos evidenciam a crescente agressividade das gravadoras em sua cruzada contra a troca ilegal de arquivos de música por meio de serviços como o Kazaa. A indústria fonográfica diz que a prática viola os direitos autorais e é responsável pela queda (de 31%) nas vendas ao longo dos últimos três anos.Ao mesmo tempo em que lança 261 ações, a indústria anuncia um programa de anistia para quem admitir trocar música online ilegamente. Para receber o perdão das gravadoras, e evitar processos futuros, o usuário deve prometer não mais recorrer à prática e destruir toda a coleção de arquivos digitais de música. Só não serão perdoados, claro, as pessoas citadas nos 261 processos que começam a correr hoje.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.