Gravadoras ameaçam internauta para barrar pirataria

A indústria fonográfica resolveu endurecer de maneira inédita a luta contra a pirataria digital. Depois dos processos contra sites de troca de música, a poderosa Recording Industry Association of America resolveu voltar sua fúria contra o próprio internauta que, ilegalmente, baixar ou oferecer músicas na rede.Citando uma queda alarmante nas vendas, a associação de gravadoras anunciou hoje que vai começar na quinta a identificar internautas que mantenham arquivos "substanciais" de música para troca on-line. Espera-se que a ação resulte em ações na Justiça contra centenas de internautas, já nos próximos dez dias. Executivos da associação não informaram a quantidade de músicas que será definida como "substancial".Segundo o presidente da associação, Carey Sherman, dezenas de milhões de internautas que trocam música na rede estarão, a partir de quinta, expostos a um "risco real". "Vocês não são anônimos", ameaçou Sherman. "Nós vamos começar a coletar nomes." "Não são necessárias muitas multas para fazer com que todos obedeçam o limite de velocidade", comparou o compositor country Hugh Prestwood.Guerra ao consumidor - A tática pesada da associação já despertou críticas. "Esta última tentativa indica de fato que a indústria fonográfica perdeu completamente o chão", analisa Fred von Lohmann, advogado da Electronic Frontier Foundation. "Será que alguém ainda acredita que mais processos serão a resposta? Hoje ela declarou guerra ao consumidor."

Agencia Estado,

25 de junho de 2003 | 16h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.