Grandes gravadoras se beneficiam de vendas não musicais

As gravadoras britânicas tiveram umgrande aumento em sua receita vinda de vendas não musicais em2007, compensando em parte a queda nas vendas de músicagravada, disse um relatório divulgado na segunda-feira. A BPI (Indústria Fonográfica Britânica), que representa asgravadoras do país, disse que as vendas não musicais aumentaram13,8 por cento em 2007, chegando a 121,6 milhões de libras (242milhões de dólares), contra 106,9 milhões de libras no anoanterior. O crescimento refletiu o aumento no uso da música empublicidade, no cinema e em videogames, além dos contratos demerchandising, turnês e patrocínios. Embora as vendas físicas e digitais de música ainda sejamresponsáveis pela maior parte da receita das gravadoras (1,4bilhão de libras em 2007), o relatório vê "sinais animadores deque essas novas fontes de receita contribuam para o aumentosubstancial da receita nos próximos anos". O enfraquecimento das vendas de música gravada, queenfrentam a concorrência da pirataria online e de alternativascomo os videogames, vem levando diversos artistas a fecharcontratos que englobam várias coisas além de gravações. Os chamados "contratos de 360 graus" cobrem todos osaspectos do negócio, em lugar de apenas música nova. QuandoMadonna deixou a Warner Music no ano passado para fechar umcontrato desse tipo com a Live Nation, que promove turnês,especialistas previram que outros artistas seguiriam seuexemplo. No ano passado, o cantor americano Prince entregou um álbumgratuitamente, encartado num jornal britânico, em iniciativa depromoção de sua turnê. Recentemente, a banda Coldplay autorizouos fãs a baixar um single gratuitamente de seu novo álbum. "O setor musical de hoje está irreconhecível, comparado aode cinco anos atrás", disse o executivo-chefe da BPI, GeoffTaylor. "As gravadoras evoluíram rapidamente, tornando-se empresasdigitalmente capacitadas que geram receita importante por meiode licenciamentos." O mercado global de música gravada é composto de centenasde selos independentes e de quatro grupos principais:Universal, Sony BMG, Warner e EMI.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.