Grammy latino homenageia Paralamas e dominicano Juan Luis Guerra

Os Paralamas do Sucesso e oempresário musical João Araújo foram os brasileiroshomenageados na quarta-feira pela Academia Fonográfica Latina,que organiza o Grammy Latino. A noite contou com grandes nomes da música latina, de RickyMartin a Rubén Blades, para festejar o dominicano Juan LuisGuerra, eleito personalidade do ano pela academia. Os Paralamas receberam o prêmio especial de ExcelênciaMusical do Grammy, que é dado "aos artistas que durante suascarreiras realizaram contribuições criativas de importânciaartística excepcional no campo da gravação", segundo agravadora EMI. João Araújo, pai do cantor Cazuza e atual presidente dehonra da Associação Brasileira dos Produtores de Discos, foihomenageado com o prêmio de Conselho Diretor do Grammy por"contribuições importantes nas áreas de gravação e promoção demúsica". O dominicano Juan Luis Guerra foi o principal homenageadoda festa em Las Vegas antecedendo a entrega dos prêmios doGrammy Latino, nesta quinta-feira. O dominicano está indicadoem várias categorias por seu mais recente trabalho, "La Llavede Mi Corazón". Quase 20 anos depois de romper os padrões com a canção"Ojalá que Llueva Café", Guerra escutou suas composições maisfamosas serem cantadas por um grande elenco de estrelas,acompanhadas pela sua big-band 440. Os mais jovens, como Martin, o cantor de salsa VictorManuelle e o "rei do reggaeton" Daddy Yankeee -- todosporto-riquenhos -- falaram de Guerra como fonte de inspiraçãopara sua carreira. E os mais veteranos, como Blades e o dominicano JohnnyVentura, agradeceram a ele por levar os gêneros típicos do seupaís -- a bachata e o merengue -- e a música latina como umtodo a patamares mais elevados. A brasileira Daniela Mercury, os rappers cubanos doOrishas, os mexicanos Lucero e Aleks Syntek, a dominicana MillyQuezada e o colombiano Carlos Vives também interpretaramcanções de Guerra, sendo o último com um acordeonista que deuum toque rural a "Ojalá que Llueva Café". Guerra cantou três composições suas, terminando a noite com"La Bilirrubina", sucesso do álbum "Bachata Rosa" (1991), quevendeu mais de 5 milhões de cópias. (Por Mary Milliken)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.