Governo da Malásia cancela apresentação de Avril Lavigne

Show da canadense foi considerado pela oposição islâmica como 'muito sexy' para ser apresentado no país

Associated Press,

19 Agosto 2008 | 13h23

O governo da Malásia cancelou nesta terça-feira, 19, um concerto da cantora canadense Avril Lavigne, afirmando que ele pode manchar as celebrações do dia da independência do país de maioria muçulmana, depois que a oposição islâmica rebateu que o show era "muito sexy". No ano passado, a cantora Beyoncé precisou transferir seu show e Christina Aguilera pulou o país em sua turnê.   O ministro das artes, cultura e patrimônio disse que o show de Avril foi barrado porque era inadequado para a cultura da Malásia e não poderia acontecer em 29 de agosto, dois dias depois do dia da independência.   "Não é na hora certa. Não é um bom espírito para nosso dia da independência. Se nós permitíssemos o show, seria contrário com o que estamos preparando", disse Shukran Ibrahim, um veterano policial do Departamento do Ministério da Cultura que checa todos os artistas estrangeiros.   A decisão final veio após líderes religiosos da oposição islâmica pedirem o cancelamento do concerto. Kamarulzaman Mohamed, um dos líderes do partido islâmico, afirmou à Associated Press na segunda que o show de Avril era "considerado muito sexy para nós" e poderia promover valores errados.   "Nós não queremos nosso povo, nossos adolescentes, influenciados pela performance. Nós queremos artistas limpos, que são bons modelos", disse Mohamed.   Avril, que ficou famosa em 2002 com seu álbum Let's Go, havia planejado lançar sua turnê pela Ásia em Kuala Lumpur. A Galaxy Group, empresa que está organizando a apresentação da cantora, pode pedir uma nova data para o show, que será avaliada pelo Ministério, informou Shukran.   No ano passado, a cantora Beyoncé precisou transferir seu show da Malásia para Indonésia, e Christina Aguilera pulou o país em sua turnê pela Ásia após uma controvérsia com seu vestido.   O governo da Malásia exige que todos os artistas usem roupas sem imagens obscenas ou que façam menção a drogas. Exige ainda que a roupa deixe seus corpos cobertos do peito até os joelhos. Além disso, não podem pular, gritar, abraçar ou beijar alguém no palco.

Mais conteúdo sobre:
Malásia Avril Lavigne

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.