Governo chileno libera Estádio Nacional para show de Madonna

No Brasil, produtora nega que shows já estejam fechados, mas não descartou a possibilidade do concerto

Da Redação, com Efe,

13 de junho de 2008 | 16h16

O governo chileno anunciou nesta sexta-feira, 13, a autorização do Estádio Nacional para o show da cantora norte-americana Madonna, em dezembro deste ano.   Veja também:Madonna acusa sociedade de ser 'machista e discriminadora'   O porta-voz governamental Francisco Vidal disse aos jornalistas que a decisão foi tomada depois da reunião com o subsecretário de Esportes, Jaime Pizarro, e com os deputados Álvaro Escobar e Marco Enríquez-Ominami, em que foi concluído que a apresentação de Madonna é compatível com outros eventos programados no local. "Agora até eu me entusiasmei com Madonna e, se vier, nos vemos em dezembro no Estádio Nacional", afirmou Vidal.   A produtora local, que administra o concerto da diva pop em Santiago, tem como data provisória dia 10 de dezembro. Este show de Madonna faz parte de sua turnê Sticky & Sweet Tour 2008, do seu último álbum Hard Candy, e incluirá ainda outros países latino-americanos. As negociações para shows na América do Sul estão incluídas no roteiro, conforme informou a produtora Live Nation, responsável pela excursão. No Brasil, a produtora local Time 4 Fun negou que shows no País já estejam fechados, porém não descartou a possibilidade do concerto.    A possibilidade da Madonna se apresentar em Santiago em sua próxima turnê latino-americana havia se afastado na quinta, quando o governo afirmou que o Estádio Nacional não estava disponível para atividades extra-esportivas.   "Eu adoro a Madonna. No entanto, ela canta e depois vai embora. Eu gosto que o gramado (do estádio) esteja o melhor possível. A grama fica, e a Madonna vai embora", declarou Vidal na quinta.   O Estádio Nacional, local onde já aconteceram grandes concertos como de Joan Manuel Serrat, Silvio Rodríguez, U2, Soda Stereo, Rod Stewart e Paul McCartney, entre muitos outros artistas e grupos internacionais, assegura um público de pelo menos 60 mil pessoas.   Após a reunião desta sexta em La Moneda, o deputado Álvaro Escobar afirmou que "o gramado vai ficar, assim como Madonna vai ficar na memória de todos os chilenos e chilenas que terão a oportunidade de assistir um concerto com envergadura universal".

Tudo o que sabemos sobre:
MadonnaChile

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.