Gloria Gaynor canta em SP

Mesmo quem não sabe inglês, sabecantar ou balbuciar estes versos: "Once I was afraid, I waspetrified, to think of how I could ever live without you by myside." Trata-se de trecho da letra de I Will Survive,megassucesso de Gloria Gaynor, a Rainha Disco, musa dadiscothèque nos anos 70, convertida em fiel evangélica nos anos80, tornada diva do mundo gay nos anos 90. Hoje atuando mais em cassinos e ginásios (foi ovacionadarecentemente durante jogo do New York Knicks), madame Gaynorestá de volta a São Paulo, terra que sempre visita. Ela cantouI Will Survive em 80 países ao redor do mundo, e nãodemonstra cansaço. Gloria conta, no auge da sua fama, nos anos 70,perverteu-se. Experimentou drogas, bebeu muito. "Mas eu odiavadrogas, odiava o gosto do álcool. Nunca fiquei bêbada de verdadeporque tinha alta tolerância ao álcool (Obrigada, Senhor!) Aspessoas sempre me perguntam sobre meus problemas com drogas e eudigo que não tive problemas com drogas, tive problemas deauto-estima." Em 1989, chegou a "barganhar" com Deus sua permanênciano mundo da música. Ela acreditou que seu caminho era gravarmúsica gospel e o fez. O atual marido, Linwood, ajudou-a a seconvencer do contrário, mas ela chegou a mudar versos da letrade sua canção mais famosa para agradar ao Senhor. Serviço - Gloria Gaynor. Quarta-feira, às 22 h. De R$ 70,00 a R$160,00; R$ 35,00 a R$ 80,00; R$ 40,00 a R$ 85,00. Olympia. RuaClélia, 1.517, São Paulo, tel. 3866-3000

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.