FOTO JF DIORIO /ESTADÃO
FOTO JF DIORIO /ESTADÃO

Gilberto Gil faz show comovente com Caetano Veloso em São Paulo

Apresentação é em meio ao tratamento de insuficiência renal do artista; segundo show será neste sábado

Julio Maria, O Estado de S. Paulo

16 de setembro de 2016 | 23h27

Gil e Caetano aparecem já posicionados no palco quando as cortinas se abrem no Citibank Hall, na noite desta sexta-feira, 16, em São Paulo. Caetano de camisa bege e calça preta, Gil de branco, como gosta de se vestir às sextas. Cantam juntos Back in Bahia rápida, como se fosse uma vinheta. E depois Gil começa a cantar Coração Vagabundo. É o momento em que todos o analisam mais do que o curtem. A voz de Gil sai mais opaca, com menos volume, quase trêmula.

Quando Caetano canta Tropicália, vozes na plateia irrompem gritos isolados de Fora Temer. Gil, visivelmente mais magro, só toca olhando para o violão.

Gil então assume com Marginália 2. A plateia mostra apoio gritando seu nome enquanto ele faz a introdução. O telão o mostra pela primeira vez em close e percebe-se o rosto inchado e um esforço maior para cantar. Mas logo vem Caetano para ajudá-lo em É Luxo Só, de João Gilberto. O bloco segue com É de Manhã. Caetano abre e entrega para Gil, que a canta leve e sorrindo. O violão de Gil está mais duro, menos preciso.

O repertório segue ileso às alterações com a mais recente parceria dos dois, As Camélias do Quilombo do Leblon, composta às vésperas do primeiro show em São Paulo da turnê Dois Amigos, Um Século de Música, em agosto de 2015. Sampa chega fazendo surpresa e a plateia delira. 

Caetano e Gil fazem mais um show em São Paulo neste sábado, às 22h30, no Citibank Hall. Havia poucos ingressos para sábado nas bilheterias. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.