Gil lança primeiro disco depois da vida política

Eletracústico foi antes um espetáculo que Gilberto Gil estreou na noite de sexta-feira 13 de agosto, no Directv Music Hall, no primeiro show depois de ocupar o cargo de ministro da Cultura. O espetáculo definido por Gil como uma mistura bem contemporânea de instrumentos acústicos e elétricos, não só convenceu naquela noite e nas seguintes, em São Paulo e no Rio, como gerou um disco e um DVD do ministro-cantor, lançado agora pela Warner Music. Fundado em novos arranjos para velhos sucessos e sustentado pelo pandeiro eletrificado de Marcos Suzano, Gilberto Gil selecionou 14 daquelas 22 canções do show. Como carro-chefe de Eletracústico, a velha canção Maracatu Atômico de Jorge Mautner, pontuada pelo diálogo entre dois tipos de percussão em andamentos diferentes, com fundamentos de repetição eletrônica e improviso humano. Nessa ensolarada sexta-feira carioca, na Estrada da Gávea, vestido convenientemente todo de branco, Gil explicou algumas escolhas (o show tinha 22 canções, o DVD tem 19, o disco só tem 14). "Preferi La Lune de Gorée, por exemplo, a Touche pas a Mon Pote, porque La Lune era uma opção mais curiosa, uma música menos conhecida, e eu a tinha cantado no show da ONU, ela se reacendeu naquele show", lembra. O DVD também traz alguns extras com imagens daquela apresentação, menos o momento em que o secretário-geral da ONU, Kofi Anan, tocou percussão com o ministro (isso exigira uma negociação de direitos de imagem, que ele preferiu evitar). Dali, saiu sua versão sincopada de Imagine, de John Lennon, poderoso cartão de visitas de um militante do pacifismo. Fez 14 shows na Europa, com Mautner como convidado. Dali, vieram as novas versões para o tango Cambalache (de Enrique Santos Discépolo, de 1934), e o resgate de Chuck Berry Fields Forever (1976). E não faltam as canções de baião, forró e reggae dos últimos anos, como Asa Branca (Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira) e Three Little Birds (Bob Marley). Nota-se que o ministro-cantor, embora tenha retomado sua atividade criativa de artista após dois anos de embate ministerial, sente-se cada vez mais à vontade no território da política.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.