Gil e Milton fazem última parada em SP

Rendeu mais que seus próprios criadores esperavam. Milton Nascimento e Gilberto Gil se encontraram na Bahia, em 1999, para compor sem grandes pretensões. Há um ano, lançaram um disco e caíram na estrada em busca de frutos.Considerados o peso e o status que seus protagonistas adquiriram em mais de 30 anos de carreira, Gil & Milton é um fiasco. Dois exemplos disso são o sacrilégio cometido com Something, para a qual Gil fez uma levada reggae radiofônica, e a participação non sense de Sandy e Júnior.Ocorre que nem sempre um fiasco artístico representa um fiasco comercial. E a longevidade da turnê com a qual os amigos se embrenham pelo País e exterior, há nove meses, prova a teoria. Pela terceira vez, eles retornam a São Paulo para reapresentar o show.As apresentações serão hoje e amanhã, no Tom Brasil. Amparados por uma banda de nove músicos, que inclui o baixista Arthur Maia e o baterista Jorginho Gomes, os cantores reprisarão o conceito "encontro de Minas com Bahia" (lembrando que Milton, embora crescido mineiro tenha nascido no Rio de Janeiro).Do repertório mineiro há Maria, de Ari Barroso. De baianos são lembrados Dorival Caymmi, com Dora, e Luiz Gonzaga, com Baião da Garôa. Sobram ainda Andar com Fé e Palco, de Gil, Calix Bento e Ponta de Areia, de Milton, Xica da Silva e Mas que Nada, de Jorge Ben Jor, e Certas Canções, de Lulu Santos e Nelson Motta.Os shows da dupla no Tom Brasil, segundo informa sua assessoria de imprensa, serão os últimos da temporada. Além das cidades brasileiras, europeus, argentinos, americanos e uruguaios assistiram ao encontro.Milton e Gil devem há muito um trabalho que não venha com o espírito do vale a pena ouvir de novo. Milton, que só deve lançar disco inédito em 2002, regravou músicas de baile em Crooner, de 1999. Gil, encantado com o estouro do forró universitário, lançou dois discos de baiões clássicos em menos de um ano.Gilberto Gil e Milton Nascimento. Hoje e amanhã, às 22 h. Tom Brasil (Rua das Olimpíadas, 66. Tel.: 3845-2326). Ingressos: de R$ 30 a R$ 100.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.