Gil abre Festival de Jazz de Marciac na França

Interpretando Refavela, um de seus sucessos na década de 70, o cantor e ministro da Cultura do Brasil Gilberto Gil abriu na noite de segunda-feira o 28º Festival de Jazz de Marciac, sudoeste da França.Em seu show Eletroacústico, o ministro cantor convidou os espectadores a uma viagem pela música universal, passando de um estilo a outro em quatro idiomas.Para o público francês, Gil citou o racismo e a escravidão através de duas composições: Touche pas à mon pote ("Não te metas com meu compadre"), lema do movimento anti-racista SOS Racismo, e Luna de Goree, que escreveu depois de uma visita ao Senegal, país de onde partiu boa parte dos escravos para a América.Em seguida interpretou Imagine de John Lennon e Three Little Birds de Bob Marley, além do clássico da música argentina que já havia sido cantado por seu amigo Caetano Veloso, o tango Cambalache.Dialogando o tempo todo com a platéia, Gil interpretou grandes clássicos brasileiros, incluindo uma música dos anos 40, o samba de Wilson Batista Mãe Solteira, que dedicou ao amigo Paulo Coelho, também presente em Marciac. Gil recordou que Coelho também escreveu músicas de protesto com Raul Seixas.Em homenagem a Chico Buarque, Gil cantou A Rita. Além disso, fez uma incursão pelo Nordeste brasileiro com a canção emblemática Asa Branca, de Luis Gonzaga, e com temas de frevo e de maracatu.O ministro interpretou pouco de seu próprio repertório, como Refavela com a qual abriu a apresentação, mas citou a beleza do Rio de Janeiro em outro de seus grandes sucessos, Aquele Abraço.Após o show de Gil quem assumiu o palco foi Jorge Ben Jor, outro astro da música brasileira, que apresentou um vasto repertório de sucessos como Mas que Nada, País Tropical e Fio Maravilha. Como em muitos outros festivais, Marciac se celebra no contexto do Ano do Brasil na França.Além de Gil e Jorge Ben, também participarão do evento a Orquestra do Fubá e Wynton Marsalis, além do espetáculo My Brazilian Heart, que contará com a presença do guitarrista Mario Adnet, um dos grandes nomes do jazz brasileiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.