Gigante americana da rede é patrocinadora oficial

Um evento do porte do Rock in Rio não poderia ser materializado apenas com vontade. É preciso dinheiro, muito dinheiro. E aí entram os patrocinadores, que vão bancar os R$ 60 milhões de orçamento em troca de um retorno de imagem da marca em escala mundial. Quem largou com grande vantagem nessa corrida foi a America Online (AOL), gigante norte-americana da Internet que garantiu o posto de patrocinadora oficial do megaevento.O contrato entre a AOL e a Artplan, empresa organizadora do Rock in Rio, é extremamente vantajoso para ambos os lados. No caso da patrocinadora, os benefícios já começaram. Há alguns meses a empresa vem anunciando uma promoção na qual o novo assinante ganha CDs com músicas dos festivais anteriores e ingressos para a nova edição. "Vamos continuar as promoções durante e depois do festival", conta o presidente da AOL no Brasil, Manoel Amorim.Um dos critérios fundamentais na decisão de patrocinar o Rock in Rio foi, segundo Amorim, a identificação da empresa com o conceito que norteia a festa: paz, amor e um mundo melhor. "Tudo o que fazemos como empresa está ligado a um de nossos princípios, que é tornar melhores as sociedades onde atuamos."Ao mesmo tempo em que estabeleceu afinidades conceituais com o festival, a AOL traçou seus objetivos comerciais, que transformaram o Rock in Rio numa grande fonte de dividendos a ser explorada. Para começar, a empresa detém todos os direitos de transmissão e retransmissão do evento, tanto para a TV quanto para a Internet. "Se uma TV a cabo francesa quiser transmitir o Rock in Rio, por exemplo, terá de negociar conosco", conta Amorim. A venda de ingressos e subprodutos será toda feita pela empresa.A AOL também vai centralizar as vendas das quatro cotas de co-patrocínio do festival. Uma já foi acertada. "O Itaú fechou uma das cotas e ficará responsável pelos serviços bancários do evento", antecipa o presidente da AOL Brasil. As negociações para as demais cotas estão adiantadas, mas os nomes das empresas são mantidos em sigilo. Sabe-se apenas que serão ligadas aos setores de bebidas, de telefonia e de automóveis.Contudo, a influência da patrocinadora oficial no Rock in Rio extrapola a área comercial e alcança a esfera artística. Segundo Amorim, a empresa pode definir se um artista ou grupo participará ou não do festival. "A organização submeteu a nós a lista das bandas escolhidas para que aprovássemos e para saber se não fazíamos alguma restrição a algum nome que entrasse em choque com os interesses da empresa", diz o presidente da AOL.O valor total do patrocínio da AOL não foi divulgado a pedido da Artplan, mas estima-se que se aproxime da casa dos R$ 30 milhões. "Não posso informar, mas o valor é o suficiente para tornar o evento possível", afirma Amorim.

Agencia Estado,

08 de agosto de 2000 | 21h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.