Geraldo Azevedo lança "Hoje e Amanhã"

Geraldo Azevedo está lançando novo disco-solo, Hoje e Amanhã, produção de Pippo Spera para o selo independente Geração, com distribuição da BMG. Gravado nos Estados Unidos, tendo na base músicos do quilate do percussionista Alex Acuña, é mais uma prova do talento melódico do compositor - que, entretanto, abre mão da autoria de duas das 12 faixas: a de abertura, o xote Onde tu Vai, João? de Erasto de Holanda, e na bela canção Una Palabra, de Spera, que além de produtor é idealizador do projeto do disco.Una Palabra tem orquestração de Dori Caymmi - que também canta um trecho da letra com o vozeirão da família brilhante. No mais, Hoje e Amanhã busca acento nas cordas dedilhadas do titular, na sanfona delicada de Chico Ceará, no contrabaixo pinicado de Alphonso Johnson, gente que entende que as canções de Geraldinho devem ser tratadas com carinho: são construções de estrutura circular, ondas de pedra jogada no rio em cuja beira nasceu o autor, móveis como o São Francisco em seu caminho até o desaguadouro, fim sem fim. Cada composição de Geraldinho tem esse dom de força concentrada, poder contido, seja um baião, uma lenta canção - como a linda faixa-título, que tem letra de Fausto Nilo -, um raro sabor nostálgico, melancólico, mas esperançoso, sorridente. Uma mágica. Arte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.