Petr David Josek/Ap
Petr David Josek/Ap

George Michael morreu por insuficiência cardíaca, diz empresário

Cantor e compositor que vendeu mais de 100 milhões de discos ao longo da carreira tinha 53 anos

O Estado de S. Paulo

26 Dezembro 2016 | 10h47

George Michael morreu após sofrer uma parada cardíaca. A informação foi revelada pelo site especializado em bastidores de celebridades TMZ e, posteriormente, confirmada pelo empresário Michael Lippman, que cuidava da carreira do britânico, ao The Hollywood Reporter. 

“Estou devastado”, disse Lippman ao site. O empresário recebeu uma ligação durante a manhã do dia 25, domingo, na qual foi informado que Michael foi encontrado “na cama, deitado em paz”, na residência onde morava, em Goring-on-Thames, vilarejo de pouco mais de 3 mil pessoas, localizado na região central da Inglaterra. 

LEIA MAIS: George Michael era a essência do pop romântico sem medo de ser brega

A polícia local informou o The Hollywood Reporter que foi chamada à propriedade de Michael logo depois das 14h, horário local, no dia de natal. Em comunicado, os oficiais diziam não haver  circunstâncias suspeitas a respeito da morte.

Entre 1982 e 1986, George Michael dividiu os holofotes com Andrew Ridgeley com o duo Wham!. Durante aquela década de 1980, contudo, ele já experimentava os primeiros passos da carreira solo. Em 1984, por exemplo, lançou o hit Careless Whisper, seu primeiro grande sucesso,  composto por ele quando ainda tinha 17 anos. 

Ao longo da carreira, Michael lançou oito discos de estúdio, três pelo Wham! e cinco solo - carreira iniciada em 1987, com o disco clássico Faith. No total, o artista vendeu 100 milhões de álbuns ao redor do mundo e ganhou dois gramofones do Grammy. 

Mais conteúdo sobre:
George Michael

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.