Gary Glitter pagou para ter acusações de estupro retiradas

O roqueiro britânico Gary Glitter, detido no Vietnã sob a acusação de cometer atos indecentes com menores, pagou US$ 2.000 às famílias de duas meninas que o acusaram de abuso sexual, informaram hoje seus advogados.O advogado Le Thanh Kinh disse que o pagamento foi feito há duas semanas. Em troca, as famílias pediram à polícia que retirasse as acusações de estupro e mantivesse apenas as de atos indecentes.Na segunda-feira, a Promotoria vietnamita anunciou que não existiam provas que demonstrassem que Glitter estuprou as duas meninas vietnamitas, de 11 e 12 anos."Glitter me disse que faria qualquer coisa para reduzir a sentença e que pagaria por isso. Há duas semanas, dei US$ 2.000 a cada família das duas meninas", disse Kinh.Ainda assim, Glitter, de 61 anos, será julgado por abuso sexual de menores, acusação da qual, segundo o advogado, se declarará inocente.Caso a acusação de estupro tivesse sido mantida, Glitter poderia ser condenado à prisão perpétua.Paul Francis Gadd, verdadeiro nome do artista, está há um ano no Vietnã, onde foi detido quando se preparava para pegar um vôo para Bangcoc.Em 1994, o antigo rei do "glam rock" foi condenado a quatro meses de prisão por posse de pornografia infantil por um tribunal londrino. Já em 2003, foi expulso do Camboja, após passar dois dias detido, por seu passado de pedofilia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.