Gal Costa ilumina novos autores no CD "Hoje"

Hoje, faixa-título de seu novo CD (o primeiro dela lançado pela gravadora Trama), diz: "Eu posso esquecer/Para ser mais feliz/Mas não vou mudar nada/De tudo que eu fiz". No dia 26, Gal Costa entra para a turma dos 60 anos, da qual já fazem parte Gilberto Gil, Caetano Veloso, Chico Buarque de Holanda.A cantora baiana que ganhou o título de cidadã paulistana, resolveu se instalar em São Paulo, onde gravou o álbum Hoje, por dois meses, com o produtor Cesar Camargo Mariano e uma trupe de jovens músicos, na faixa dos 20, escolhidos pelo próprio Cesar, com quem ela já tem estrada. Ele fez arranjos para algumas canções do disco Baby Gal, na década de 80, entre outros.Hoje reúne músicas de autores desconhecidos. Com ajuda de Carlos Rennó, Gal trouxe à luz compositores que contabilizam muito tempo de estrada e já haviam gravado quase todas as canções pinçadas por ela em seus respectivos CDs independentes, como é o caso de Péri, Moisés Santana, Junio Barreto, entre outros. Há inéditas compostas especialmente para ela por Caetano Veloso, Chico Buarque e Zé Miguel Wisnik. Segundo ela, são compositores que não se pode dispensar. A crítica especializada acreditava que a carreira da cantora havia perdido o rumo e já lhe cobravam um álbum com novidades. No novo álbum, Gal acertou a mão na escolha dos autores, feita sob aconselhamento de Cesar. Já Cesar imprimiu um refinamento e um engrandecimento aos arranjos de uma forma que lhe é muito característica. O produtor, que vive há anos nos EUA e aperfeiçoa suas habilidades técnicas com os gringos, é um perfeccionista convicto e famoso por seu apuro musical. Isso contribuiu e muito para dar uma coerência cool a um repertório pontuado pelas melodias africanas do congolês Lokua Kanza (que ainda faz participação especial na faixa Sexo e Luz), a romântica Voyeur, de Péri, o samba-canção Pra Que Cantar, do artista plástico Nuno Ramos, a melancólica Luto, de Caetano. Cesar Camargo não vai poder acompanhar Gal no piano na nova turnê da cantora pelo País. De acordo com ela, é bem provável que os ensaios sejam marcados para o final de setembro e o novo formato de show sairia na seqüência. Gal já planeja ser acompanhada por um quinteto de músicos e um "computadorzinho", que se encarregará de reproduzir recursos pré-gravados. Para o repertório, canções do novo disco, músicas que já gravou e talvez até algumas que nunca tenha cantado. E mais uma música de autor desconhecido que ficou de fora do novo CD, mas vai estar no DVD do show. No mais, ela comenta a situação política do País, reiterando a frase de Caetano e Chico: estou de coração partido."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.