Gal canta Jobim em BH

Gal Costa faz hoje no Palácio das Artes única apresentação de seu show Gal Canta Jobim, às 21h. Baseado em disco homônimo, o espetáculo já rodou Brasil e alguns países da América Latina. Mas a cantora avisa que em Belo Horizonte apresentará o show modificando, incluindo, além das canções do compositor, sucessos de sua carreira.O CD Gal Canta Jobim foi lançado no ano passado. Ao todo, são 25 composições de Tom na voz de Gal. Para o álbum, a cantora selecionou composições de diversos momentos da obra de Jobim, desde a fase pré-bossa nova até canções de períodos mais recentes.O show em Belo Horizonte faz parte das comemorações do primeiro aniversário do Circuito Cultural Banco do Brasil, que vão até o dia 5 de agosto.Como será o show em Belo Horizonte?Gal Costa - Esse show de sábado é o Gal Canta Jobim modificado. Eu canto sucessos da minha carreira também, além das canções do Tom Jobim. Eu coloquei algumas canções que foram sucessos na minha voz também.O CD Gal Canta Jobim foi lançado em 1999. A idéia surgiu quando o Tom ainda era vivo?Quando o Tom era vivo, nós tínhamos um projeto. Ele queria muito, e eu também, fazer um disco juntos. Inclusive poucos dias antes da morte dele, nós nos falamos pelo telefone, ele estava indo para os Estados Unidos, ele falou: "Estou indo para os Estados Unidos, vou fazer uma revisão e na volta vamos fazer o nosso disco". E eu disse "vamos sim, eu quero muito". Mas, infelizmente, não deu tempo.Porque esse CD só saiu em 1999?Não saiu antes porque na verdade o Tom ia adiando, adiando...E você fez esse CD como uma homenagem...Sim, exatamente...Você tem intenção de gravar outros CDs com músicas do Tom?Eu tenho vontade de fazer um outro disco dele, mas eu não sei se será o próximo trabalho meu. Eu estou realmente pensando em fazer uma coisa nova. Eu não posso nem falar o que é, porque eu tenho algumas idéias, mas nada definido. Então eu vou fazer um outro disco do Tom Jobim, com certeza, sem nenhuma dúvida, mas não sei se será esse próximo trabalho.Esse show já passou por quais cidades?Já passou pelo Brasil e América Latina e estou indo também para o interior de São Paulo, Buenos Aires, Montevidéu e depois encerrando para começar um novo trabalho. Já estive em Caracas e num Festival de Música de Garanhuns em Pernambuco.Qual a importância que você vê do Tom Jobim tanto na sua carreira quanto na música popular brasileira?A importância de Tom Jobim é fundamental, porque João Gilberto e ele reinventaram a música brasileira. Na época que eles surgiram, o que se ouvia era uma música muito bonita mas - falando especificamente de João Gilberto, que inventou aquela batida de violão e o canto moderno - os cantores daquela época cantavam como seresteiros... Sílvio Caldas e tudo mais. Então, surgiu uma conotação nova e eu acho que foi importante para todos os brasileiros, os artistas da minha geração, todos eles. Foi uma influência importante no Brasil.E continua influenciando...Até hoje, a bossa-nova é uma coisa extraordinária. O tempo passa e quanto mais você ouve, mais vê que é uma música extraordinária, executada no mundo inteiro, gravada no mundo inteiro, é maravilhosa.Quando deve ser lançado seu próximo CD?Para fim do ano, talvez em outubro.Gal Canta Jobim. Sábado, às 21h, no Palácio das Artes (Av. Afonso Pena, 1537). Ingressos a R$ 30 nos setores I e II e a R$ 20 no balcão, mais 1 Kg de alimento não perecível.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.