Francois Mori/AP
Francois Mori/AP

Funeral de George Michael é realizado três meses após a morte do cantor

A cerimônia foi restrita a familiares e amigos do músico, que morreu em 25 de dezembro de 2016

EFE

29 Março 2017 | 15h32

O funeral do cantor britânico George Michael (1963-2016) foi realizado na quarta-feira, 29, três meses após a sua morte, ocorrida em 25 de dezembro de 2016. A cerimônia foi discreta e somente para familiares e para amigos íntimos, segundo confirmou seu agente, sem dar detalhes.

Em um comunicado, a familia do músico agradece aos milhares de fãs ao redor do mundo que postaram “amor e apoio” ao cantor, enquanto a mídia local relatou que o serviço funeral ocorreu no bairro de Highgate (Norte de Londres), onde o cantor vivia.

De acordo com o tablóide britânico Daily Mail, a cerimônia foi realizada às 14h. O ex-membro do grupo Wham! morreu de "causas naturais", como revelou um juiz forense que preside o caso. Especificamente o artista, que foi encontrado morto em sua residência pelo namorado, o libanês Fadi Fawad, morreu em consequência de uma 'cardiomiopatia dilatada com miocardite", de acordo com uma segunda autósia feita no cantor.

A primeira autópsia, realizada em dezembro, mostrou resultados "inconclusivos”, por isso, houve a necessidade de novos testes. As suspeitas de que o cantor tivesse morrido de uma overdose foram descartadas. A polícia local considerou então que o a morte era "inexplicável, mas não suspeita". 

Michael, cujo nome verdadeiro Georgios Kyriacos, autor de sucessos como Careless Whisper e Faith , vendeu mais de 100 milhões de álbuns em todo o mundo, e foi uma das estrelas mais conhecidas do pop das décadas de 1980 e 1990 anos, primeiro como membro do grupo Wham!, e depois em carreira solo. 

 

Mais conteúdo sobre:
George MichaelDaily MailMichael

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.