Foragido, Belo vê cair venda de seus discos

O cantor Belo, considerado foragido da polícia - é acusado de ligações com o tráfico de drogas - está com problemas também no mercado discográfico. Um dos maiores vendedores de discos do mercado popular, o pagodeiro Belo chegou a vender 500 mil cópias do seu álbum Desafio, lançado no ano passado. O disco subseqüente, Belo Ao Vivo (EMI), lançado em setembro de 2001, vinha vendendo melhor ainda: já tinha alcançado as 400 mil cópias, segundo a gravadora EMI.Depois de ter seu nome envolvido no caso policial, Belo começou a declinar nas vendas. Segundo a distribuidora Universal, de São Paulo, o maior atacadista do setor, a vendagem do disco "retroagiu" e caiu recentemente. "Era um cantor de ponta, vendia como poucos, mas depois dos acontecimentos ele caiu", disse Luiz Parra, da Universal. "Acho que foi um marketing negativo o caso com a polícia."Belo, que continua com paradeiro incerto, era líder do grupo Soweto antes de aventurar-se na carreira solo. Também vendia bem na época - cerca de 2 milhões de discos vendidos em 7 anos de carreira. Segundo a EMI, ele estava se preparando para gravar um novo disco, no segundo semestre.O cantor trocou de empresário e adotou uma nova estratégia de ação. Hoje, seus advogados passaram o dia reunidos para saber quais serão os próximos passos. As músicas de Belo continuam sendo bem-executadas no rádio, especialmente duas delas (Viver por ela e Resumo da Felicidade). O CD Belo ao Vivo está em promoção na rede de lojas Fnac, ao preço de R$ 21,50 (o preço normal é R$ 29,00).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.