Andreza Francisco
Andreza Francisco

Fora da Casinha promove shows gratuitos

Em sua terceira edição, festival terá 12 apresentações e, pela primeira vez, terá entrada franca

Thais Brunoro / ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

07 Outubro 2017 | 04h00

A 3ª edição do Festival Fora da Casinha acontece neste sábado, 7, no Largo da Batata, com uma novidade: será a primeira vez que o evento de música independente será gratuito.

Produzido pela Casa do Mancha, que há 10 anos fomenta a cena musical autônoma brasileira, o festival contará com dois palcos e apresentações de 12 artistas: Negro Leo, Raça, Tagore, Ema Stoned, Mauricio Pereira, Tatá Aeroplano, Bárbara Eugênia, Vitreaux, Giovani Cidreira, Aloizio e a Rede, Bratislava e Glue Trip.

O Fora da Casinha terá início às 13h, com a Festa Sussa (uma hora de discotecagem) e os shows começam às 14h. O festival faz parte da programação do Mês da Cultura Independente, promovido pela Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo. 

Uma das atrações do Fora da Casinha, o trio paulistano de música experimental Ema Stoned, formado por Alessandra Duarte (guitarra), Elke Lamers (baixo) e Jéssica Fulganio (bateria e vocais), acredita que, apesar do possível desgaste, ser independente é um aprendizado. “Se você não ama a música, não adianta”, dizem elas. “Temos de ser criativas a fim de levar nosso som a mais pessoas e de diferentes maneiras. Isso pode tomar mais tempo caso tivéssemos investido uma grana alta para nos promover, mas acreditamos que criamos música autêntica e nos concentramos nas razões pelas quais começamos a tocar.”

As integrantes da banda também enxergam a mudança do festival de modo positivo. “Mais do que gratuito, o fato de ser num lugar público leva a música até as pessoas, o que pode inspirar alguém que não fosse ouvir se rolasse num lugar fechado e pago. É importante por ocupar a cidade, estar aberto para quem quiser chegar. Um evento gratuito se torna ainda mais relevante levando em conta nossa atual gestão política que tende a querer privatizar tudo. Ocupar o Largo é uma maneira de resistência, de falar que a cidade é das pessoas e continuará sendo delas.’

FESTIVAL FORA DA CASINHA. Largo da Batata. Shows a partir das 14h. Entrada gratuita. 

Mais conteúdo sobre:
Largo da Batata

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.