Final do Prêmio Visa será dia sete

Pela ordem em que se apresentaram durante a etapa semifinal, os cinco classificados para a finalíssima do quarto Prêmio Visa de MPB - Edição Instrumental são: o guitarrista Diego Figueiredo, a dupla de violonistas Duofel, o violonista Yamandú Costa, o trio Trato a Três e a pianista Heloísa Fernandes.O júri selecionou os finalistas na noite da terça-feira, logo após a apresentação dos quatro candidatos da última semifinal, realizada na Sala Esther Mesquita, do Teatro Cultura Artística. Integravam o corpo de jurados o maestro Nelson Ayres, seu presidente, o compositor Arrigo Barnabé, o violonista Ulisses Rocha e o maestro Mário Zaccaro.Por seus méritos, mas, ainda assim, curiosamente, três dos instrumentistas que concorrerão ao grande prêmio são solistas - Diego Figueiredo, Yamandú Costa e Heloísa Fernandes. Apenas Heloísa é de São Paulo. Diego é de Brasília e Yamandú, do Rio Grande do Sul. O Trato a Três é do Rio e o Duofel foi formado em São Paulo, mas um de seus integrantes, Fernando Melo, nasceu em Arapiraca, Alagoas - terra de Hermeto Paschoal.A quarta edição do Prêmio Visa de MPB recebeu 365 inscrições, 363 delas vindas de 16 Estados brasileiros, uma da França e outra dos Estados Unidos - músicos brasileiros residentes no exterior. Deles, 24 foram selecionados para a primeira fase do prêmio, a etapa eliminatória; da eliminatória saíram os 12 semifinalistas; dali, os cinco finalistas.Eles concorrem a R$ 105 mil em prêmios, assim divididos: R$ 40 mil, para o primeiro colocado; R$ 25 mil, para o segundo; R$ 20 mil, para o terceiro. Não há, de acordo com o regulamento, hierarquia para os outros dois concorrentes. Cada um deles receberá R$ 10 mil em prêmio. Ao vencedor, cabe ainda o direito de gravar um CD pela Gravadora Eldorado.Realizado pelo quarto ano consecutivo, o Prêmio Visa de MPB, produzido pela Rádio Eldorado e patrocinado pelos cartões Visa, tornou-se o mais importante e respeitado prêmio da música brasileira. Sua primeira edição, em 1998, foi dedicada, como a de agora, aos instrumentistas; a segunda, em 1999, aos intérpretes vocais; a terceira, no ano passado, aos compositores. Na presente edição, o prêmio reinicia o ciclo.A importância do prêmio comprova-se pela projeção dos vencedores das outras edições. O pianista André Mehmari e o contrabaixista Célio Barros, que empataram em primeiro lugar no prêmio de 1998, tornaram-se referências nacionais em seus instrumentos. Aquela edição instrumental revelou, ainda, o bandolinista Hamilton de Holanda, um jovem músico dedicado ao choro que já é a grande estrela da renovação do gênero. A cantora Mônica Salmaso tornou-se conhecida nacionalmente depois de vencer a edição dedicada aos intérpretes vocais e o disco que fez parte de seu prêmio, Voadeira, é considerado um dos melhores trabalhos cantados dos últimos tempos.Mônica brilhou como intérprete no festival de música realizado, no ano passado, na TV Globo. No mesmo festival, o autor de uma das mais belas e aplaudias canções foi Dante Ozzetti, vencedor da edição dedicada aos compositores do Prêmio Visa.Os concorrentes dessa quarta edição são músicos de características muito próprias. Diego Figueiredo traz para a canção brasileira o toque límpido da guitarra sem distorções, como a tocada por Joe Pass ou por Hélio Delmiro. O Duofel combina dois violões num trabalho vigoroso, de forte acento percussivo. Yamandú Costa combina o sotaque de sua formação gaúcha ao brilho do choro, gênero de que trata preferencialmente. O Trato a Três tem a formação jazzística nítida na abordagem dos temas que seleciona. Heloísa Fernandes molda a formação erudita ao feitio de pianistas contemporâneos como Keith Jarrett ou Egberto Gismonti. A final do Prêmio Visa será realizada no dia 7, na casa Tom Brasil. No mesmo dia, serão proclamados os vencedores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.