Fim do suspense: Coldplay canta hits no Chile

Uma dúvida cruel vinha intrigando os fãs do Coldplay em relação ao repertório da turnê latino-americana, que chega a São Paulo depois do Carnaval (dias 26, 27 e 28). Muito se especulou e se alardeou sobre o fato de que o show teria apenas dez canções, todas inéditas, em pouco mais de uma hora, como o próprio site da banda tinha anunciado. Bem, acabou o suspense. Baseado no roteiro da estréia em Santiago do Chile, nesta quarta-feira, dá para sentir um certo alívio. O show tem hits, sim, e nada de música nova. Sparks, Yellow, Fix You, Square One e Politik, entre outras, além de um cover dos Beatles (Tomorrow Never Knows) enlouqueceram os 5.200 fãs que lotaram o Espacio Riesco, na capital chilena, pagando até 180 dólares pelo ingresso. Mas a ocasião era mais do que especial por ter o Coldplay estreando no país. A certa altura o vocalista Chris Martin, que também fez referências ao poeta-mor chileno Pablo Neruda, provocou comoção ao dizer em perfeito espanhol: ?Estamos em Santiago pela primeira vez e muito felizes?.Lá, como aqui, os organizadores repassaram uma exigência do quarteto, de que o público só poderia ver o show acomodado em cadeiras. ?A banda não quer ninguém de pé?, assegura uma assessora da produção em São Paulo. Até os fotógrafos vão ter de se virar para registrar imagens no início. É claro que ninguém é obrigado nem deve cumprir tal ordem, absurda para um concerto de rock. Pior ainda no caso de sentir rato de laboratório ao servir de teste de músicas novas. Esse lado pelo menos está descartado.Ninguém de pé (?) No Chile, a tal exigência foi por terra logo nas primeiras músicas - Square One e Politik -, que abrem respectivamente os álbuns X&Y, de 2005, e A Rush of Blood to the Head. Juntos os dois CDs venderam no mundo 21 milhões de exemplares no mundo, o que torna ainda mais insensata a realização de shows em casas de pequeno porte.Na Via Funchal, em São Paulo, serão apenas 2.757 pessoas por noite, enquanto milhares de fãs do país inteiro clamam por esse privilégio. A situação é tão inusitada que a Revista Bizz estampou na capa da edição mais recente: Coldplay - Tudo sobre o show que você não vai ver. Ainda mais que o show tem tudo de megaprodução: globos espelhados, chuva de papel picado. Agora, os sortudos portadores de um ingresso só têm vantagens a contar. Não é todo dia que se tem uma banda do porte do Coldplay pra ver de perto.Para consolo parcial dos perdedores, a EMI acaba de lançar a Limited Tour Edition de X&Y. A gravadora alardeia que se trata de uma edição especial para a América Latina, mas é a mesma que saiu no Hemisfério Norte. Além do CD normal, há um DVD reunindo faixas multimídia dos lados B de singles Things I Don?t Understand, Proof, World Turned Upside Down, Pour Me (ao vivo), Sleeping Sun e Gravity, além de vídeos de Speed of Sound, Fix You e o medley com Talk e The Hardest Part.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.