Filme tem trilha sonora óbvia e sem brilho

Moda é o reino da dance music, e adance music é feita sob medida para ditar a cadência de umdesfile. Isso é um dogma, não necessariamente uma verdade. Mas atrilha sonora de "O Diabo Veste Prada" não foge dessacontingência. Abre com "Vogue", megamegahit dance de Madonna, de1990. Prossegue com "Feelin? Hypnotized", de DJ Colette, eempilha também algumas curiosidades, como "Crazy", de Seal (navoz de Alanis Morrissete), e "Beautiful", de Moby. Tem ainda"Trés Trés Chic", de Mocean Worker, e "Here I Am", de TamraKeenan e David Morales. Quase nada é inédito, apenas "Bittersweet Faith", deBitter:Sweet. Quase nenhum esforço para trazer algo realmenteoriginal. "Vogue", de Madonna, foi inspirada nas danças criadaspor gays em clubes de Nova York no início da década de 90, nasquais usavam uma série de complexos gestos com as mãos paraimitar seus astros preferidos de Hollywood, assim como o gestualdas modelos na capa das revistas Vogue. Por conta do entusiasmodos executivos da Warner com a canção, ela virou single e acabouindo parar na trilha do filme "Dick Tracy", que Madonna estrelouao lado de Warren Beatty. Seria interessante escolher "Vogue" se fosse para fazeruma conceituação histórica, mas o saldo dessa coletânea (oaglomerado de músicas que resulta disso) não é lá essas coisas:é melhor buscar os discos originais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.