Reuters
Reuters

Filho de Malcolm McLaren promete atear fogo em objetos do Sex Pistols

Joe Corre pretende queirmar milhões de dólares em momorabília em protesto à apropriação da cena musical pela sociedade mainstream

Georgina Cooper, Reuters

25 de novembro de 2016 | 09h24

O filho de Malcolm McLaren, empresário dos Sex Pistols, disse que iria atear fogo a milhões de dólares em memorabília punk no sábado, como forma de protesto à apropriação da cena musical pela sociedade mainstream.

Joe Corre disse que iria queimar os discos e roupas dos Sex Pistols, além de outros objetos, no 40º aniversário do lançamento do single de estreia da banda "Anarchy in the UK".

"Eu tenho pensado há um bom tempo sobre o que fazer com isso tudo e acho que essa é a oportunidade certa para dizer 'quer saber, o punk morreu. Parem de enganar uma geração mais nova de que isso, de alguma forma, tem atualidade para lidar com as questões que eles enfrentam'", disse ele em coletiva de imprensa nesta quinta-feira.

"Não tem. Está morto e é hora de pensar em outra coisa."

A Inglaterra organizou uma série de eventos para marcar os 40 anos do punk sob a bandeira "Punk.London", uma comemoração oficial que irritou veteranos da explosão musical e cultural anti-establishment.

A coleção, que inclui gravações raras, posters e roupas costuradas por sua própria mãe, a designer Vivienne Westwood, é avaliada entre 5 milhões e 10 milhões de libras (6,24 milhões a 12,5 milhões de dólares), disse Corre, que fundou a marca de lingerie Agent Provocateur.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.