Filho de Bob Marley cria polêmica sobre fortuna do pai

Ky-Mani conta a sua história em livro, mas discute autenticidade da obra com seu editor

estadao.com.br,

16 de março de 2010 | 19h31

Um livro onde o penúltimo dos filhos de Bob Marley conta sua história e como foi marginalizado durante anos da fortuna de seu pai, desfrutada por seus meio irmãos, pode terminar levando ao tribunal o autor Ky-Mani Marley, que também é músico, e seu editor, segundo informa a agência France Press.

 

O livro "Dear Dad" (Querido Papai) chegou ao mercado em 6 de fevereiro, data em que o ícone mundial do reggae completaria 65 anos e se tornou uma verdadeira dor de cabeça para o filho de 34 anos de Bob Marley. Ele foi advertido sobre a 'guerra' familiar que poderia desencadear com a publicação.

 

Mas a disputa não é apenas entre Ky-Mani e sua família, e se estende ao seu editor também, Farrah Gray, um jovem empresário negro de 24 anos. A desavença poderá terminar na Justiça, disseram ambos nos últimos dias aos meios de comunicação dos Estados Unidos e Jamaica.

 

"O livro não é um ataque à minha família. Amo meus irmãos e irmãs mais do que ninguém imagina", disse Ky-Mani em um comunicado em sua página no MySpace. "Não esperava que Gray atuasse de forma tão pouco profissional e maliciosa, trocando palavras para criar controvérsia com o objetivo de vender o livro", queixou-se.

 

Já o editor disse "eu não escrevi o livro, o publiquei. Esta é sua história, são suas palavras e vou provar isso", disse o editor Gray.

 

O livro tem como subtítulo, "a história que a família Marley aparentemente não queria que você soubesse". E entre muitos detalhes conta como a viúva de Bob Marley, Rita, se negou a dar apoio econômico aos últimos filhos do músico nascidos fora do casamento.

 

Segundo o site oficial de Bob Marley, a lenda do reggae jamaicano teve 11 filhos, a maior parte deles com sua esposa Rita e os outros com outras 6 mulheres.

Mais conteúdo sobre:
Bob Marley

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.