Matt Sayles/Invision/AP, File
Matt Sayles/Invision/AP, File

Filha de Michael Jackson acredita que o pai foi assassinado

Em entrevista à Rolling Stone, Paris culpa o médico Conrad Murray e a empresa AEG Live, responsável pela turnê do Rei do Pop

AFP, O Estado de S.Paulo

26 Janeiro 2017 | 11h04

A filha de Jackson, Paris, diz que ela tentou matar Ela mesma "várias vezes" nos anos após a morte de seu pai. A garota de 18 anos diz à Rolling Stone, em uma entrevista que lutou contra a depressão e a toxicodependência após a última tentativa aos 15 anos. 

Ela também disse que sofreu abuso sexual por um "completo estranho" aos 14 anos. 

A atriz e modelo também falou sobre a morte do pai em 2009, dizendo que culpa o Dr. Conrad Murray, 1ue foi condenado por homicídio involuntário, por manter o cantor viciado em anestesia. O médico forneceu propofol, uma droga anestésica que causou dependência no astro, enquanto a AEG, que promovia os shows do cantor, "não trata seus artistas de forma correta e os faz trabalhar até a morte", revelou a garota. 

Ela também diz que "todas as setas apontam" para que Jackson tendo sido assassinado de alguma forma. "Chegou a um ponto em que ele estava tipo, 'eles vão me matar algum dia'. Soa como uma teoria da conspiração e como besteira, mas todos os fãs de verdade e todos da família sabem. Foi uma armadilha, foi uma merda"

Mais conteúdo sobre:
Jackson Paris

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.