REUTERS/Clodagh Kilcoyne
REUTERS/Clodagh Kilcoyne

Filha de Kurt Cobain diz que é hora de superarem tabu envolvendo doenças mentais

'Há uma associação de que é vergonhoso e isto não deveria ser', disse Frances Bean Cobain

REUTERS

17 de julho de 2018 | 22h26

A filha do músico Kurt Cobain disse nesta terça-feira que os Estados Unidos deveriam superar seu tabu sobre doenças mentais e vícios, quase um quarto de século após seu pai se matar.

Frances Bean Cobain falava na Irlanda no lançamento de uma nova exibição dos pertences do líder da banda Nirvana. Cobain morreu em 1994, aos 27 anos, por um tiro disparado contra si enquanto lutava contra o vício em heroína.

“Há uma associação de que é vergonhoso e isto não deveria ser”, disse Frances Bean, que também lutou contra vício.

“É tabu... apesar do fato de que é presente em nossa sociedade todos os dias. E eu acho que na Europa é um pouco menos tabu, eu acho que na América é muito, muito desaprovado”, disse à Reuters.

Frances Bean, a irmã de Kurt, Kim, e a mãe de Kurt, Wendy O’Connor, participaram da exibição no Museum of Style Icons, em Newbridge, a 50 quilômetros de Dublin.

+ Exposição conta partes da história do Nirvana e da cena que criou a banda

De rascunhos e desenhos a roupas e um carro, a exibição “Growing Up Kurt Cobain” mostra dezenas de itens pessoais de Cobain, alguns nunca antes vistos pelo público.

Fãs de Cobain, que popularizou o estilo grunge na década de 1990, podem ver o suéter verde listrado que ele vestiu no clipe do sucesso de 1991 “Smells Like Teen Spirit” e na premiação da MTV para a mesma música.

Os desenhos de personagens de desenhos animados feitos pelo cantor na infância, músicas escritas a mão e o carro Dodge Dart 1965 azul também fazem parte da exibição.

+ Exposição icônica sobre o Nirvana vem ao Brasil após seis anos em Seattle

“Parecia o momento certo para mostrar quem Kurt realmente era como uma criança crescendo. Para voltar às suas raízes de ser uma criança, quando ele era mais feliz”, disse Kim Cobain.

O pequeno museu no condado de Kildare recebeu a exibição em parte porque seu dono conhece a família Cobain. O museu também possui roupas vestidas por ícones como Audrey Hepburn, Elizabeth Taylor e Grace Kelly em exibição e já recebeu exposições dedicadas a Michael Jackson e Prince.

Mais conteúdo sobre:
Kurt Cobain

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.